Força de Preensão Manual em Atletas de Jiu-jitsu Brasileiro: Estudo Comparativo Entre Graduações

Por: Edson Marcelo da Silva Lopes Junior, Guilherme da Silva Gasparotto, João Carlos Alves Bueno, Ragami Chaves Alves, Rubens Batista dos Santos Junior e Tácito Pessoa de Souza Junior.

Cinergis - v.16 - n.3 - 2015

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: comparar a força dos músculos flexores do punho entre graduações de atletas de Jiu-Jitsu brasileiro, previamente e imediatamente após combate, em competição oficial. Método: para medida da força dos músculos flexores do punho foi utilizado dinamômetro. A medida foi expressa em Kg e comparada entre faixas etárias e graduações. Foram realizadas duas medidas de preensão manual com cada atleta, uma anteriormente o primeiro combate e a segunda medida imediatamente após a luta. Resultados: verificou-se redução da força de preensão manual, expressa em média de Kg, após o combate, entre atletas das três categorias de idade, 18 a 23 anos (p = 0,02), 24 a 29 anos (p = 0,03) e 30 anos ou mais (p = 0,01). Porém, entre as categorias de idade não se observou diferença na média de força de preensão pré luta (p = 0,31) e preensão pós luta (p = 0,22). Comparado aos atletas faixas branca, os faixas azul obtiveram redução de força, em média de 6,16 Kg. No entanto, a maior variação foi observada entre os atletas faixa roxa (11,7 Kg). Considerações finais: verificou-se importante diferença na força de preensão manual antes e imediatamente após combate de atletas de Jiu-Jitsu brasileiro, graduados nas faixas azul e roxa, independente da faixa etária.

Endereço: https://online.unisc.br/seer/index.php/cinergis/article/view/5929

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.