Força Muscular e Massa Magra Regional Influenciam a Saúde Mineral óssea Entre Jovens Mulheres

Por: Bianca Rosa Guimarães, Daniel dos Santos, Danilo Alexandre Massini, Leandro Oliveira da Cruz Siqueira e Luciana Duarte Pimenta.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.24 - n.3 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O treinamento de força é capaz de estimular o metabolismo do tecido ósseo, aumentando oestresse mecânico sobre o sistema esquelético. No entanto, a relação direta ainda não está bem estabelecidaentre as mulheres mais jovens, uma vez que deve ser descrito qual nível de aprimoramento da força é capaz deinduzir mudanças efetivas na integridade óssea. Objetivos: Este estudo analisou a influência da força muscular
sobre o conteúdo mineral ósseo (BMC) e a densidade mineral óssea (BMD) entreestudantes universitárias.Métodos: Quinze mulheres (24,9±7,2 anos) foram avaliadas quanto à composição regional e corporal atravésde absorciometria com raios-X de dupla energia (DEXA). Os testes de repetição máxima (1RM) foram avaliados
no supino reto (SR), puxada alta (PA), flexão do joelho (FJ), extensão do joelho (EJ) e leg press 45° (LP45).A regressão linear analisou as relações de BMC/BMD com a composição regional e valores dos testes 1RM. As medidas de dispersão e erro (R2 aj e SEE) foram testadas definindo p ≤0,05. Resultados: O valor médio do BMC corporal foi de 1925,6 ± 240,4 g e BMD de 1,03 ± 0,07 g/cm2. A massa magra (MM) foi relacionada ao BMC (R2 aj=0,86, p<0,01 e SEE=35,6 g) e à BMD (R2 aj=0,46, p<0,01, SEE = 0,13 g/cm2) nos membros inferiores (MI). Os testes 1RM no SR associaram-se com o BMC e à BMD (R2 aj=0,52, p<0,01, SEE=21,4 g, e R2 aj=0,68, p<0,01, SEE=0,05 g/cm2, respectivamente) nos membros superiores, assim como os testes 1RM na EJ relacionaram-se ao BMC e à BMD (R2 aj=0,56, p<0,01, SEE=62,6 g, e R2 aj=0,58, p<0,01, SEE=0,11 g/cm2, respectivamente) nos MI. Conclusões: Dessa forma, os testes 1RM para exercícios multiarticulares são relevantes para o BMC/BMD regional, intensificando a necessidade de incluir exercícios resistivos nas rotinas de treinamento com o propósito de melhorar a força muscular e a massa magra regional e, portanto, assegurar uma massa mineral óssea saudável. Nível de Evidência II; Desenvolvimento de critérios diagnósticos em pacientes consecutivos (com padrão de referência “ouro” aplicado).

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922018000300186&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.