Formação de Esquema Motor em Crianças Portadoras de Síndrome de Down

Por: Go Tani e .

Sobama - v.1 - n.1 - 1996

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve por objetivo investigar se crianças portadoras de síndrome de D'O•Ili com deficiência mental leve (n=16) e moderada (n=25) se beneficiam da variabilidade de prática para desenvolver esquema motor na tarefa de arremessar ao alvo. Os sujeitos foram divididos em grupo controle e grupo experimental. O delineamento experimental consistiu de prática da tarefa (96 tentativas) e tarefa de transferência (10 tentativas). A análise não-paramétrica dos dados não revelou diferença significa= entre as grupos experimental e controle. No entanto, a tendência evidenciada pela análise descritiva dos dados foi a de que v grupo experi-mental obteve melhor desempenho a nova tarefa na primeira tentativa. Esta tendência indicou que o referido grupo se beneficiou da variabilidade de prática. O desempenho variável observado nas 10 tentativas, entretanto, colocou em dúvida se a formação de esque-mas motores a partir da prática variada pode ser considerada preponderante em situações de aprendizagem motora, conforme predição feita na teoria de esquema de Schmidt (1975). A análise dos dados revelou que os sujeitos portadores de deficiência mental moderada apresentaram um desempenho semelhante ao de pessoas portadoras de deficiência mental leve. A idade mental e a idade cronológica podem ser considerados fatores importantes para tal evidência. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.