Frequência e duração da prática de atividade física de discentes e servidores universitários

Por: Anastácio Neco de Sousa Filho, Andre Luiz Petrolini, , José Fernando Vila Nova de Moraes, José Roberto Andrade do Nascimento Junior, Layane Costa Saraiva e Thaynã Alves Bezerra.

Revista da Educação Física - UEM - v.29 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A inatividade física é considerada fator de risco para condições desfavoráveis à saúde. Objetivo: analisar os fatores intervenientes no nível de atividade física (NAF) dos discentes e servidores da Universidade Federal do Vale do São Francisco. Métodos: a amostra foi composta por 483 alunos, 49 docentes e 153 técnicos administrativos. Foram utilizados o Questionário Internacional de Atividade Física - versão curta e um questionário de dados sociodemográficos. Resultados: 61,8% dos participantes foram muito ativos, evidenciando que as mulheres praticam mais atividades moderadas enquanto os homens mais atividades vigorosas, e indivíduos da área de humanas e com nível de escolaridade de mestrado e doutorado praticam menos caminhada em dias e minutos por semana. Conclusão: o nível de escolaridade e área de atuação interferiu no NAF dos pesquisados, destacando que indivíduos com mestrado e doutorado e pertencentes à área de humanas foram menos ativos na caminhada.
 

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/37299

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.