Freqüência Relativa de Cr na Aquisição e Retenção de Uma Tarefa Motora na Terceira Idade

Por: Elio Carlos Petroski.

Kinesis - n.24 - 2001

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve como objetivo verificar os efeitos da freqüência relativa de CR na aquisição e retenção de uma tarefa motora, na terceira idade. Participaram do estudo 34 voluntários na faixa etária de 54 a 77 anos, que, através de sorteio, formaram dois grupos. Durante a aquisição, um grupo recebeu freqüência relativa de 100% de CR e o outro 57%. Os resultados foram submetidas à análise de variância (two-way ANOVA) com medidas repetidas. Na aquisição não houve diferenças significativas entre os grupos F( 1.32) = 1,48, entretanto, diferenças significativas foram encontradas na comparação entre tentativas F(7,224) = 29,86, p < 0,001, e na interação entre grupos e tentativas F( 7,224) = 2.14, p < 0.039. Na retenção, não houve diferenças significativas entre os grupos F( 1,32) = 0,77, na comparação entre as tentativas F(2,64) = 0,58, nem na interação entre grupos e tentativas F(7,64) = 0.09. Os resultados permitem concluir que não houve diferença significativa entre os grupos. Concordam com a hipótese de orientação na aquisição, porém, discordam na retenção, indicando à possibilidade de que idosos podem se diferenciar de outras faixas etárias, em relação à freqüência relativa de CR ideal para aprender uma mesma tarefa motora.

Endereço: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/kinesis/article/view/8040

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.