Fútbol Callejero: Processos Educativos Decorrentes de Uma Motricidade Emergente

Por: Maurício Mendes Belmonte.

524 páginas. 2019 15/02/2019

Send to Kindle


Resumo

Alicerçados na perspectiva das Epistemologias do Sul, a presente Tese traz para o campo das discussões político-epistemológicos o Fútbol Callejero (FC) que, em sua origem, no ano de 2001, no bairro de Moreno (Buenos Aires-Argentina), se configurou como uma metodologia de Educação Popular em um contexto no qual a Argentina atravessava uma grave crise econômica, sendo as juventudes empobrecidas as mais afetadas. Atento a este cenário, o educador popular e ex-jogador de futebol Fábian Ferraro identificou o potencial que o futebol possuía para reunir os/as jovens. Sua proposição tratou de possibilitar aos/às participantes a incorporação do diálogo como prática de resolução de conflitos, bem como o incentivar o protagonismo destes/as no processo de luta pelos seus direitos e interesses. Assim, a Metodologia Callejera preconiza a composição de equipes formadas por meninos e meninas (mistas); jogos disputados em 3 tempos; os/as participantes combinam previamente as regras que orientarão cada partida; além dos gols também são atribuídos pontos para atitudes afeitas ao Respeito, à Cooperação e à Solidariedade (“Pilares” do FC) e, por fim, a substituição de um árbitro/a por um/a Mediador/a, cuja função é facilitar o diálogo e reflexão acerca das ações relativas a cada um dos Pilares do FC para estabelecimento de acordo coletivo sobre o placar final do jogo. Com estes saberes SULeamos, nossa investigação acerca do FC foi realizada no contexto de um projeto socioeducativo desenvolvido com crianças e adolescentes moradores/as de bairros periféricos e empobrecidos do município de São Carlos (interior de São Paulo – Brasil). A partir da perspectiva qualitativa do método de Sistematização de Experiências, posto em interfaces com a Analética e a Redução Fenomenológica, procedemos à participação e o registro na/da experiência, que ocorreu no período entre agosto de 2016 a janeiro de 2017, acrescidos de dois encontros em dezembro de 2017. Nesta ocasião, nos inserimos para atuação como educadores-investigadores, coordenando os momentos de Mediação do FC e de vivências diversificadas de motricidades lúdicas (jogo/ócio/lazer). Registramos a experiência através de filmagens que balizaram a confecção de 15 diários contendo a reconstrução da experiência e a transcrição na íntegra das falas dos/as participantes. Nosso objetivo central foi identificar e compreender os processos educativos decorrentes da prática do FC, e dos momentos que a lógica de avaliação dos Pilares inspirou a análise da convivência entre os/as participantes durante as atividades diversificadas de jogo/ócio/lazer. Nosso processo de análise dos dados culminou com a identificação de 3 categorias: A) O Fútbol Callejero é muito da hora!; B) Cuidado Callejero; C) Quando o Callejero é mais que futebol. Com base nas análises, nossa Tese é de que o Fútbol Callejero (nascido e criado na Argentina – Sul geográfico e metafórico) se configurou como uma Motricidade Callejera, emergente e compondo as Epistemologias do Sul, com a potência de estar sendo um projeto trans-moderno e intercultural de intervenção e que atua articuladamente contra o capitalismo, o patriarcado e o colonialismo. Esperançamos que nossa Sistematização de Experiências componha a constelação de saberes, sendo capaz de sulear novas travessias e novas sistematizações. Palavras-Chave: 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.