Ginastas de Competição do Sexo Feminino = Grupo de Malnutrição?

Por: Maria Raquel Gonçalves Silva.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

As atletas praticantes de desportos que exigem graciosidade e técnica, como
a Ginástica estão sob uma grande pressão para exibirem um corpo magro
e esbelto, pelo que este grupo tem sido considerado um potencial grupo
de malnutrição. O principal objectivo deste trabalho foi avaliar a ingestão
nutricional de ginastas do sexo feminino [n= 36; 11,8 (2,8) anos] durante a
época desportiva. Foram recolhidas informações relativas ao treino
desportivo e dados antropométicos e nutricionais. Utlilizou-se a média e o
desvio-padrão, e o teste Kolmogorov-Smirnov para a análise da distribuição
normal dos dados antropométricos e nutricionais. O peso e a estatura foram
avaliados, tendo-se calculado o índice de massa corporal (IMC). As ingestões
energética e nutricional foram estimadas a partir da aplicação de um diário
alimentar de 3 dias consecutivos. O IMC diminuiu durante o período
competitivo e foi inadequado para a idade e estatura, o que pode ser um
indicador da presença de malnutrição. A ingestão energética diária foi menor
do que a recomendada para atletas deste tipo, tendo atingido o valor mais
baixo no período competitivo [1444 (507) Kcal/dia]. As vitaminas A, B1 e
B6 atingiram valores elevados, ao contrário do cálcio, ferro e magnésio.
Parece-nos possível concluir que estas atletas apresentaram uma ingestão
desequilibrada durante a época desportiva, o que pode comprometer o
rendimento desportivo.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/74_Anais_p395.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.