Governo Receberá Proposta Para o Plano Nacional do Desporto

Por: .

Blog do José Cruz - 2016

Send to Kindle


                Brasília (6/10/2016)  –  Representantes das principais entidades esportivas brasileiras, públicas e privadas debateram hoje, Câmara dos Deputados, em Brasília, sobre a proposta de uma Plano Nacional de Desporto (PND), elaborada pela Comissão de Esporte da Câmara dos Deputados.

                A audiência pública, comanda pelo deputado Evandro Roman (PSD/PR), apreciou um documento com 14 páginas, que recebeu inúmeras sugestões para adaptação/atualização. A audiência pública, seguida de um debate, durou seis horas ininterruptas de trabalho.

                O PND era cobrado com insistência pelo TCU (Tribunal de Contas da União), que alertava ao Ministério do Esporte sobre a necessidade de melhor fixar as metas e ações do governo federal, o principal financiador do esporte de alto rendimento nacional.

                Após absorver as propostas apresentadas na audiência de hoje, a proposta do PND será encaminhada como “sugestão” ao Ministério do Esporte, que poderá apresentá-lo, ajustado ou não, como proposta do Governo ao Congresso Nacional.

                Da audiência pública participaram representantes dos Ministérios do Esporte, da Saúde e da Educação, do COB, confederações de atletismo, ciclismo, do Desporto Escolar e do Desporto Universitário, Desporto na Neve, representante da Secretaria de Esportes de Alagoas, Cláudia Petuba, Confederação Brasileira de Clubes, Atletas pela Cidadania, Colégio Brasileiro da Ciência do Esporte, Instituto Joaquim Cruz e da ONG Sou do Esporte.

Principais manifestações

“Temos que considerar que o Plano Nacional do Desporto é para o Brasil. Não é um Plano para o Ministério do Esporte. Também precisamos nos preocupar com a capacitação dos profissionais de Educação Física para atuarem nesta proposta de Plano, pois serão os executores dessa proposta” - Jorge Steinhilber – Presidente do CONFEF

“O PND fixa a meta de que 100% dos alunos da rede de ensino fundamental. Fixa também que será assegurado em 100% das escolas da rede de ensino fundamental profissionais equipamentos e ambientes adequados para a prática de educação física. Temos condições de cumprir estas metas diante das dificuldades financeiras do país? Acredito que devemos fixar metas possíveis”. Rossieli da Silva – Ministério da Educação

“Estamos fixando metas e ainda não conhecemos o resultado do Diagnóstico do Esporte, realizado no ano passado. Só divulgaram o resultado da primeira etapa”.  O Diagnóstico é indispensável para fixar as metas do PND” - Cláudia Petuba – da Secretaria de Esportes do Estado de Alagoas

“O Diagnóstico está pronto. Pronto para ser divulgado pelo Ministério do Esporte” - Cássia Damiani – ex-assessora do Ministério do Esporte e atualmente na Universidade Federal do Ceará

“Temos uma dificuldade muito grande para instalarmos quadras de 40x20m nas escolas. Seria possível reduzir a aplicação dos recursos no alto rendimento para investir mais na base? Finalmente, apelamos ao ministro do Esporte para que tenhamos uma vaga no Conselho Nacional do Esporte.- Robson Aguiar – da CBDE

“As metas me parecem exageradas, e se não forem alcançadas podem desanimar para se chegar às demais metas”. -Vitório Mendes – do Comitê Olímpico do Brasil

“O modelo educação física/escola é campo obrigatório em todo mundo. Mas aqui não temos onde o aluno praticar um esporte, o que dificulta fomentar as práticas e formar novos atletas”. – Luciano Cabral - CBDU

Diante das dificuldades financeiras que estão sendo anunciadas, sugiro que se pense em novas formas de financiamento para o esporte. Mas que se definam antes as atribuições de cada instituição para que os parceiros saibam com quem estão lidando. O BID, o PNUD e UNESCO já fazem ações sociais-esportivas no Brasil. Quem sabe possam ajustar projetos ao Plano Nacional do Desporto - Fabiana Bentes – do “Sou do Esporte” – Rio de Janeiro

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.