Grupo Interinstitucional de Exercício e Pesquisa Voltado Aos Pacientes Hiv/aids: Programa de Exercícios Físicos nos Parâmetros Cardiorrespiratório, Muscular, Imunológico e Virológico de Indivíduos Hiv Positivos

Por: , Alexandre Ramos Lazzarotto, Alvaro Oliveira, Andrea Sebben Kramer, Bibiana Sgorla de Almeida, Eduardo Sprinz, Giovani Cunha, Greice Oliveira, Juliane da Silva Rossato, Luís Fernando Deresz, Martha Hädrich e Paulo Ivo Homem de Bittencourt Junior.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

A partir da cronicidade da AIDS, o exercício físico tem sido estudado como uma
possibilidade terapêutica para a melhoria da qualidade de vida de indivíduos HIV
positivos. Sendo assim, avaliou-se um programa de exercícios aeróbios e resistência
muscular localizada nos parâmetros cardiorrespiratório, muscular, imunológico e
virológico de 4 homens HIV positivos, com idades entre 42 e 43 anos, clinicamente
estáveis e sedentários ou insuficientemente ativos. O delineamento caracterizou-se
como pré-experimental (CEP/FEPPS:03/2005), sendo que as coletas de sangue de
8mL em EDTA, com análise por citometria de fluxo e bDNA, foram realizadas
mensalmente antes do Protocolo de Rampa em cicloergômetro, teste de 15 repetições
máximas para 5 exercícios e número máximo de abdominais em 1 minuto. O
programa foi desenvolvido durante 3 meses numa freqüência de 3 sessões semanais
(36 sessões). No VO2máx. e na carga máxima de trabalho no cicloergômetro, o
participante 1 aumentou de 30-31,7mL/kg/min (+5,7%) e de 125-175watts (+40%).
O participante 2 diminuiu de 36,9-35,6mL/kg/min (-3,5%) e aumentou de 175-
200 watts (+14,3%), enquanto que o 3 diminuiu de 25,4-23,8 mL/kg/min (-6,3%)
e aumentou de 125-150watts (+20%), e o 4 diminuiu de 33,5-32,5 mL/kg/min (-
3,0%), mantendo os 175watts. Todos aumentaram o número de repetições no
abdominal: 1 (38-60:+57,9%), 2 (50-69:+38%), 3 (40-51:+27,5%) e 4 (40-
67:+67,5%). No supino; os participantes 1 e 2 aumentaram 150% (20-50kg), o 3
aumentou 100% (20-40kg) e o 4 aumentou 300% (10-40kg). Na roldana alta, o
participante 1 (15-40kg: +166,7%), o 2 (10-35kg:+250%), o 3 (10-30kg:+200%) e o
4 (20-35kg:+75%). Na pressão de pernas, os participantes 1 e 2 aumentaram 100%
(30-60kg e 40-80kg), o 3 aumentou 50% (40-60kg) e o 4, 75% (40-70kg). Na rosca
bíceps, os participantes 1, 3 e 4 aumentaram 75% (4-7kg) e o 2 aumentou 100% (4-
8kg). Na rosca tríceps, os participantes 1, 2 e 4 aumentaram 150% (10-25kg) e o 3,
100% (10-20kg). Considerando TCD4+, 3 participantes aumentaram e 1 diminuiu
a contagem de células: participante 1 (265-357 células/mm3: +34,72%), 2 (307-700
células/mm3:+128%), 3 (614-655 células/mm3:+6,68%) e 4 (350-255 células/
mm3:-27,14%). Na carga viral, o participante 1 diminuiu de 10.711 para 6.326 cópias/
mL (-40,94%), enquanto que os demais mantiveram o número de cópias abaixo de
50 cópias/mL. A associação dos componentes aeróbio e resistência muscular
localizada foi efetiva nos parâmetros estudados.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.