Hábitos de Lazer, Nível de Atividade Física e Características Somatomotoras de Adolescentes

Por: .

2006

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como proposta identificar os hábitos de lazer de adolescentes e sua possível associação com o nível de atividade física, aptidão física e estado nutricional. A população do estudo compreendeu 537 adolescentes do ensino médio do CEFETSC. A amostra foi composta por 374 adolescentes (69,6%) da população, sendo 221 rapazes e 153 moças com idade entre 15 e 18 anos, sendo uma média de (16.9±0,8) para o sexo feminino e (17.0±0,8) para o sexo masculino. A identificação dos hábitos de lazer se deu por meio de um questionário elaboradop a partir do Inventário de Hábitos de Lazer (CLOES et. al., 1997) e da Escala de Hábitos de Lazer (FORMIGA, AYROZA e DIAS, 2005). Para verificar o nível de atividade física (NAF) foi utilizado o Questionário Internacional de Atividade Física IPAQ versão curta (MATSUDO et. al. 2001). A aptidão física relacionada à saúde (AFRS) e relacionada ao desempenho (AFRD) foi investigada por meio do protocolo do PROESP (2005). A avaliação do crescimento físico e estado nutricional foi realizada segundo os critérios de Waterlow (1976), por meio do Software PED, o qual consiste em um Sistema de Avaliação do Estado Nutricional em Pediatria, desenvolvido pelo Centro de Informática em Saúde da Escola Paulista de Medicina. Assim, considerou-se a adequação estatura/idade e peso/estatura, tomando-se como referência, as curvas de crescimento do National Center for Healthe and Statistics (NCHS). A partir do questionário que permitiu classificar a amostra em dois grupos, G1 (praticantes de atividades físicas/ desportivas nos momentos de lazer) e, G2 (não praticantes de atividade física /desportiva nos momentos de lazer), observou-se o seguinte: a) os adolescentes G1 mostraram uma maior frequência em lazer denominados sedentário tais como jogar video-game e navegar na internet; b) mais de 80% dos adolescentes foram classificados como ativos e muito ativos, sendo que o G1 apresentou melhor NAF; c) o G1 apresentou uma melhor AFRS e, o NAF do G2 não corresponde a sua AFRS, havendo, inclusive, diferenças estatisticamente significativas entre os grupos; d) ambos os grupos apresentaram AFRD abaixo dos níveis recomendados pelo protocolo do PROESP, e índices de sobrepeso e obesidade similares, não havendo portanto diferenças significativas entre os grupos para essas variáveis. O estudo mostra a necessidade de se considerar a influência dos contextos e das relações inter-pessoais para melhor compreender os hábitos de lazer dos adolescentes, na intenção de que se evite conclusões baseadas nas relações de causa e efeito. O trabalho também mostrou haver uma necessidade de realizar mais pesquisas envolvendo o modelo vigente recomendado para prática da atividade física. No entanto, sem deixar de considerar que mais importante do que o volume e ou a intensidade que a atividade física seja realizada, é que esta consiga satisfazer em primeiro lugar as necessidades de pertença e autoestima do adolescente.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.