Higiene e Recreação: Parques Infantis de São Paulo, 1935-1938

Por: Victor Grindler.

89 páginas. 2015 02/03/2015

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo analisa questões de interesse sanitário, num período em que novas concepções no campo da saúde pública eram desenvolvidas em São Paulo, tomando os parques infantis, entre 1935 e 1938, como estudo de caso. A hipótese norteadora desse estudo é que, dentro do contexto da saúde pública no Brasil, emergente na década de 1930, espaços públicos, tais como os parques infantis, tornaram-se um cenário para ações de prevenção de doenças e de promoção da saúde. Nesse sentido, três projetos diferentes puderam ser identificados à base do estabelecimento dos parques infantis de São Paulo: um como foco cultural e identitário, formulado pelo grupo ligado a Paulo Duarte e Mário de Andrade, um segundo com interesse eminente sanitário, correspondente aos ideias da chamada Reforma Paula Souza , e um terceiro, formulado pelo diretor da Divisão de Educação e Recreios, Nicanor Miranda, baseado num novo conceito, ampliado, da educação física.

Endereço: https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/13308?locale=pt_BR

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.