Hipogonadismo Masculino e Obesidade Icaro Pereira Santos

Por: Camilla Miranda de Oliveira.

43º Simpósio Internacional de Ciências do Esporte Simpoce

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O hipogonadismo masculino é urna síndrome clinica que baseia-se na associação de níveis de testosterona total abaixo do limite inferior da normalidade. Na população brasileira a prevalência de homens com hipogonadismo é de 20%. A obesidade é principal causa de hipogonadismo secundário. Objetivo: O objetivo desta revisão é descrever os aspectos clínicos envolvidos entre a obesidade e o hipogonadismo, apresentando, os principais achados na literatura quanto a sua etiologia, diagnóstico e tratamento. Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão sistemática. As buscas foram realizadas nas bases de dados bibliográficas —Google Académico, LILACS, SciELO, artigos de periódicos, teses e dissertações. Resultados: Podemos inferir que a etiologia do hipogonadismo masculino associado à obesidade, juntamente com o aumento da gordura visceral é o fator chave para causar o declínio da testosterona sérica, que por sua vez leva a um incremento da gordura visceral. Desta forma, baixos niveis de testosterona estimulam a diferenciação dos adipócitos e o aumento da captação de triglicérides nestas células, aumentando o tecido adiposo visceral. Além disso, o tecido gorduroso, que é considerado um órgão endócrino, secreta uma série de adipocitoquinas, que regulam vários processos metabólicos, através de ações parácrinas, endócrinas e autócrinas. Entre elas, está a modulação do eixo HHG, inibindo a produção da testosterona. O diagnóstico de hipogonadismo em homens adultos baseia-se na associação de níveis de testosterona total abaixo do limite inferior da normalidade para adultos jovens (280-300 ng/dI) com sintomas clínicos, especialmente disfunções sexuais. Resultados: O tratamento varia de acordo com a etiologia, mas tipicamente é feito com reposição do hormônio liberador de gonadotropina, gonadotropina ou testosterona. A perda de peso induz ao aumento dos níveis de testosterona total e livre e que esse aumento é tanto maior quanto maior a perda de peso e nos homens mais jovens, no entanto, é consenso que a reposição com testosterona proporciona melhora da libido, densidade óssea, massa muscular, composição corporal. A partir dos resultados obtidos nos estudos citados, constata-se que o hipogonadismo masculino está associado a obesidade, gerando um quadro clinico com repercussões negativas na saúde e qualidade de vida do homem. 

Endereço: http://celafiscs.org.br

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.