Hipotensão Após a Associação do Exercício Aeróbio e Resistido: Mecanismos Hemodinâmicos e Autonômico

Por: , Décio Mion Junior, Luiz Teixeira, Maria Helena Coelho Nepomucemo e Tais Tinucci.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O exercício aeróbio e o resistido são utilizados de forma complementar
em programas para a melhora da saúde e têm sido recomendados para hipertensos.
Embora isoladamente ambos promovam queda da pressão arterial (PA) após sua
execução, o efeito da associação deles sobre essa resposta ainda não foi estudado.
Assim, o objetivo deste estudo foi verificar, em jovens normotensos sedentários, o
efeito agudo isolado e associado dos exercícios aeróbio e resistido de baixa intensidade
na resposta da PA pós-exercício e seus mecanismos hemodinâmicos sistêmicos e
autonômicos. Material e métodos: Nove normotensos (4 homens, 26 a 34 anos, não
obesos) realizaram aleatoriamente 4 sessões experimentais: controle (C), exercício
aeróbio (A - cicloergômetro, 30 min, 50%VO2pico), exercício resistido (R - 6
exercícios, 3 séries, 20 repetições, 50% de uma repetição máxima) e exercício aeróbio
seguido do resistido (AR).A PA (auscultatória), a frequência cardíaca (FC-ECG) e o
débito cardíaco (DC- reinalação de CO2) foram medidos antes e após cada
intervenção. O controle autonômico foi avaliado pela análise espectral da variabilidade
da FC pré e pós-intervenção. Os dados foram comparados pela ANOVA de 2
fatores para amostras repetidas. Resultados: A PA sistólica diminuiu após as
intervenções nas sessões A e AR (maior queda = -12±4 e -9±2 mmHg,
respectivamente, P<0,05). As PAs diastólica e média elevaram-se pós-intervenção
na sessão C (+7+2 e +5+2 mmHg, respectivamente, P<0,05). Nas sessões de
exercício, não houve modificação na PA diastólica.A PA média diminuiu nas sessões
A e AR (-6+2 e -6±1 mmHg, respectivamente, P<0,05). O DC diminuiu e a
resistência vascular periférica aumentou pós-intervenções em todas as sessões. O
volume sistólico diminuiu e a FC aumentou pós-exercício nas sessões A, R e AR (-
16±4, -23±4 e -21±4 ml/bat e +10+4, +12+3 e +19+3 bpm, respectivamente,
P<0,05). A banda de alta frequência da variabilidade da FC diminuiu e a de baixa
frequência aumentou pós-exercício nas sessões R e AR. Conclusões: O exercício
físico aeróbio isolado e associado ao resistido promove queda da PA sistólica após
sua execução. Todos os exercícios propostos têm efeito hipotensor diastólico, pois
impedem o aumento dessa PA que ocorre na sessão C. A queda da PA pós-exercício
se deve à redução do DC, devido à diminuição do VS, que não é compensada pelo
aumento da FC, que se associa à redução da modulação parassimpática e aumento
da simpática para o coração. Apoio: CAPES.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.