Hipotensão Após Exercício Aeróbio: Influência da Massa Muscular Exercitada

Por: , Crivaldo Gomes Cardoso Junior, Décio Mion Junior, Ellen Aparecida Araújo, Fernando da Silveira Lobo e Tais Tinucci.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Após a execução de uma única sessão de exercício físico observa-se
redução da pressão arterial (PA) abaixo dos níveis pré-exercício. Diversos fatores
podem influenciar nessa resposta, com a duração, intensidade e massa muscular
envolvida no exercício, sendo essa última pouco investigada na literatura. Assim,
este estudo investigou as respostas hemodinâmicas após a realização de exercícios
executados com diferentes massas musculares, mas com duração e intensidade relativa
semelhantes. Material e métodos: Dezesseis indivíduos normotensos (7 homens, 18
a 35 anos) realizaram aleatoriamente 3 sessões experimentais: controle (C), exercício
aeróbio realizado com um membro inferior(mmii) (E1 - cicloergômetro, 45
min, 50%VO2pico de 1 mmii), exercício aeróbio realizado com dois mmmii (E2 -
cicloergômetro, 45 min, 50% VO2pico de 2 mmii).A PA (auscultatória), a frequência
cardíaca (FC-ECG) e o débito cardíaco (DC- reinalação de CO2) foram medidos
antes e por 90 após as intervenções. Em cada sessão, as respostas pós-intervenção
foram avaliadas pela diferença entre os valores medidos pós e pré-intervenção. As
respostas das sessões E1 e E2 foram corrigidas pela observada na sessão C. Os
dados foram comparados pela ANOVA de 2 fatores para amostras repetidas.
Resultados: A PA sistólica diminui durante todo o período de recuperação apenas
na sessão E2 (maior queda = -4,3±2,0 mmHg, P<0,05), enquanto que as PAs
média e diastólica não se modificaram em nenhuma das 2 sessões. O DC diminuiu
por durante 90 min após E2 (90 min = -0,7± 0,2 l/min, P<0,05)e por 30 min em
E1 (30 min = -0,4±0,2 l/min, P<0,05), enquanto que a resistência vascular periférica
(RVP) aumentou aos 30 min pós-intervenção em E1 (-11±1 unidades, P<0,05) e
não se alterou em E2. O volume sistólico (VS) diminuiu após as 2 intervenções,
sendo essa queda maior após a sessão E2 (90 min=-16,4±3,5 vs. -6,9±3,3 mmHg,
P<0,05), enquanto que a FC aumentou de forma semelhante nas 2 sessões.
Conclusão: Em exercícios de mesma duração e intensidade relativa, o tamanho da
massa muscular exercitada influencia na reposta da PA, mas não da FC pós-exercício.
Apenas o exercício físico executado com maior massa muscular promove queda da
PA, que se deve à diminuição do DC que não é compensada pelo aumento da RVP.
A redução do DC está associada à diminuição do VS que não é compensada pelo
aumento da FC. Apoio: FAPESP 04/02163-5 e CNPq.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.