História Intelectual e História da Educação

Por: Luiz Felipe Baêta Neves.

Revista Brasileira de Educação - ANPED - v.11 - n.32 - 2006

Send to Kindle


Resumo

O texto começa por tratar do uso anacrônico de palavras e idéias. Tal uso caracteriza-se por uma rigidez na interpretação da linguagem, que acaba por se fixar nos significados correntes na época em que se escreve a história. Essa reificação do discurso tende a desconsiderar as possíveis significações das palavras no período histórico, mais ou menos distanciado, que estudamos. As palavras podem repetir-se, mas suas formas de apropriação são virtualmente infinitas; a escrita da história é a "comparação" da posição teórica que escolhemos com a história das fontes que nos foram legadas. A história da educação deve, assim, ser observada na própria constituição de seu discurso e não em "contextos" que acabam por ser o repositório exclusivo do tempo.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v11n32/a12v11n32.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.