Histórico Sobre a Implantação da Esgrima em Cadeira de Rodas no Brasil (2002 a 2008)

Por: Valber Lazaro Nazareth.

III Congresso de Ciência do Desporto

Send to Kindle


Ao contrário da Esgrima Convencional (EC), praticada por pessoas sem deficiência, que tem sua estrutura organizativa implantada no Brasil desde o inicio do século XX, a Esgrima em Cadeira de Rodas (ECR), adaptada para prática de pessoas com deficiência física, vai iniciar as suas atividades no país somente no ano de 2002, após já ter passado por onze Paraolimpíadas, e muito tempo depois da EC já ter se consolidado em território nacional. Por sua vez, a ECR também surge no Brasil, muito mais pelo interesse e trabalho dos próprios praticantes com deficiência e de pesquisadores da área de Atividade Física Adaptada, do que das pessoas envolvidas com a EC. De todas as formas, nos anos seguintes a ECR também começa se organizar nacionalmente, com amplas conseqüências e desafios para o seu desenvolvimento, sendo que pouco se tem registrado a respeito. Buscando contribuir para o registro histórico da ECR no Brasil, desenvolvendo-se sob as bases de uma pesquisa histórica descritiva, o ensaio em questão teve por objetivo apresentar os fatos que contribuíram para a implantação e desenvolvimento da ECR no país a partir do inicio de suas atividades no ano de 2002. Do ponto de vista de produção dos dados, estes foram obtidos por meio da análise de documentos e revisão de literatura. Para tanto, num primeiro momento descrevemos a evolução da EC na Europa até a sua chegada ao Brasil e organização nacional a partir do século XX. Em seguida, apresentamos a ECR desde sua origem no seio de Stoke Mandeville na Inglaterra, sua posterior estruturação institucional, difusão no mundo e contexto Paraolímpico. Fechamos o estudo com a ECR no Brasil, onde apontamos ordenadamente os fatos que marcaram a sua implantação e processo de desenvolvimento até o ano de 2008 e perspectivas futuras no país.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.