Home Advantage no Judô: Estudo Sobre o Sistema de Ranqueamento Mundial

Por: Ursula Ferreira Julio.

100 páginas. 2011 25/07/2011

Send to Kindle


Resumo

Em 2009, a Federação Internacional de Judô (FIJ) instituiu um sistema de ranqueamento (SR) para classificar os atletas em suas categorias de disputa e para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Porém, o SR não considera o fenômeno conhecido como home advantage, relacionado à vantagem de vencer quando se compete em casa. Esse fenômeno ainda não foi estudado no judô e se comprovado traz implicações para o SR. Assim, o objetivo deste estudo foi verificar se há ocorrência de home advantage nas competições que integram o SR no judô, para a conquista de medalha e número de lutas vencidas. Para tal, foram analisadas todas as competições internacionais de judô do SR realizadas em 2009. Para verificar se os atletas que competiram em casa tiveram mais chance de conquistar medalha foi utilizada a análise de regressão logística e para verificar se houve associação do número de lutas vencidas e competir em casa foi utilizado o modelo linear generalizado de Poisson. Os modelos contaram com uma variável de ajuste referente à qualidade relativa dos atletas em duas possibilidades: posição no SR da FIJ e neutro (construído com lutas disputadas em território neutro). A amostra foi dividida em: Grupo I - todas as participações; Grupo II - somente os atletas que haviam competido dentro e fora de casa. Dado que alguns atletas não puderam lutar em território neutro e, portanto, não tiveram codificação para esse SR, foram criados duas subamostras do Grupo I e do Grupo II, excluindo os atletas sem codificação nesta variável. Todas as análises foram realizadas considerando os gêneros conjunta e separadamente. A variável qualidade relativa foi significante em todas as análises e também modificou os modelos (p<0,001). Ao considerarmos a subamostra do Grupo II, a razão de chance para conquista de medalhas foi superior para os atletas que competiram em casa para o grupo masculino (2,33; p<0,001) e feminino (1,58; p = 0,019). A associação entre número de lutas vencidas e competir em casa foi significante para os atletas do masculino (p<0,001), mas não significante para o feminino (p = 0,088). A ausência da vantagem no feminino para número de lutas vencidas pode ter sido limitada e confundida com o número reduzido de atletas participantes em muitas das competições. As atletas que conquistaram medalha em competições mais vazias, não precisaram vencer mais lutas, dado que um número reduzido de vitórias garantia a medalha. É possível que a torcida seja a principal responsável pelos achados, tanto por influenciar o julgamento dos árbitros a favorecer os atletas da casa como pela motivação para os atletas. Outra possibilidade é que aspectos associados à dominância territorial tenham influenciado as disputas masculinas, porém não as femininas. Assim, foi comprovada a existência do home advantage nas competições que integram o SR de judô para conquista de medalha no masculino e feminino, e para número de lutas vencidas apenas para o masculino. Desta forma, é provável que os atletas de países que sediam competições do SR tenham vantagem para a obtenção da classificação olímpica.

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39134/tde-26092011-082636/pt-br.php

Ver Arquivo (PDF)

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.