Imobilização Articular: Efeitos Sobre o Tecido Muscular de Camundongos Obesos e Desnutridos

Por: Bernardo Neme Ide, Evanisi Teresa Palomari, George Azevedo Lemos, Priscila Neder Morato, Rafael Ludemann Camargo, Renato Chaves Souto Branco e Renato Rissi.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.18 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Embora seja um recurso muito utilizado para tratamento de lesões musculoesqueléticas, a imobilização causa efeitos deletérios no tecido muscular após curto período de tempo. O presente estudo teve como objetivo avaliar os músculos gastrocnêmio e tibial anterior de animais obesos e desnutridos proteicamente sob a condição de imobilização articular. Foram utilizados 28 camundongos (C57/BL6) machos adultos, distribuídos em quatro grupos (N=7): Grupo controle (GC), Grupo Controle Imobilizado (GCI), Grupo Obeso imobilizado (GOI) e Grupo Desnutrido Imobilizado (GDI). O protocolo de imobilização foi realizado por meio da utilização de tiras de esparadrapo e faixa gessada. As condições de obesidade e desnutrição proteica foram desenvolvidas por meio da ingestão de dietas específicas para cada grupo de animais. A análise histomorfométrica dos músculos avaliou a área e o diâmetro das fibras musculares. Todos os grupos imobilizados apresentaram redução na área e no diâmetro das fibras musculares quando comparados ao GC. As comparações entre os grupos imobilizados mostraram que os valores do diâmetro e área de fibras dos grupos GOI e GDI foram menores do que o GCI. O protocolo de imobilização provocou redução do trofismo muscular nos animais estudados e os animais obesos e desnutridos sofreram prejuízo elevado na condição de atrofia muscular.  

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2016v18n1p1

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.