Impacto de las Políticas Brasileñas de Ciencia Y Tecnología En La Actividad Investigadora de Las Universidades Federales: Un Estudio Cienciométrico Del Período 2003-2015.

Por: Cláudia Daniele de Souza.

332 páginas. 2018 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Nas últimas décadas, o Brasil tornou-se um país que, apesar de suas deficiências, conseguiu avançar e fazer uso de seus recursos para expandir e aumentar sua presença na esfera internacional. Dada sua dimensão geográfica, população e peso da sua economia, esse país desempenha um papel fundamental, especialmente na região sul-americana. Desde que foi considerado parte do grupo BRICS de países emergentes, vários quadros teóricos já surgiram para explicar esse fenômeno. Foram longos anos de definição de programas e estratégias voltadas para a transformação do país de modo que, atualmente, é possível dizer que conseguiu-se capturar e reter o interesse da comunidade internacional. O delineamento de suas políticas públicas de ciência, tecnologia e inovação tem influenciado, sobretudo, a promoção da pesquisa científica, o desenvolvimento tecnológico e os processos de democratização do acesso e internacionalização da educação superior brasileira. Nesse contexto, a presente tese de doutorado apresenta-se como um estudo cientométrico cujo objetivo é analisar o impacto de três dessas políticas públicas (Programa de Apoio aos Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, Programa Ciência sem Fronteiras e Lei de Inovação Tecnológica de 2004) na atividade de pesquisa do sistema universitário brasileiro, entre os anos 2003-2015. Por se tratar de um sistema heterogêneo, diversificado e segmentado, detalha-se no caso das 63 universidades federais. Para desenvolver o estudo, as políticas mencionadas foram analisadas para identificar seus objetivos e definir seus pontos comuns. Em seguida, elaborou-se um quadro analítico que permitiu delimitar três dimensões da atividade científica: CRESCIMENTO, QUALIDADE e INTERNACIONALIZAÇÃO. Para operacionalização, construiu-se uma matriz de indicadores de entradas (inputs) e saídas (outputs). Utilizando fontes de informação oficiais e bases de dados bibliográficas, em cada uma das dimensões abordadas, as variáveis mais relevantes foram identificadas por meio de testes estatísticos descritivos e multivariados. Embora a principal contribuição desta tese seja o desenvolvimento conceitual e metodológico, os resultados permitem observar que o crescimento e a intensidade da atividade das universidades federais, no período estudado, tem sido exponencial (em termos de número de alunos , bolsas de pesquisa, corpo docente, novas instituições criadas), bem como sua produção científica e tecnológica (publicações e patentes). Quanto à qualidade, observou-se que está crescendo, especialmente em quanto à formação de recursos humanos, mas não tanto na produção cientifica. Por outro lado, o notável impulso à internacionalização também teve resultados positivos em diferentes aspectos, como na colaboração científica com centros estrangeiros. Esses resultados mostram que o Brasil, e especialmente as universidades federais, fizeram um esforço importante para melhorar e atualizar o sistema universitário que está começando a dar frutos. Em conclusão, ressalta-se que a expansão do sistema universitário brasileiro e sua entrada na comunidade internacional já ocorreram, mas ainda faltam dar alguns passos no sentido de melhorar a qualidade.

Souza, 

Endereço: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/IBICT-1_9e535f59117898279532baa076c52cef

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.