Importância da Força Muscular Para a Qualidade de Vida de Idosos Sedentários

Por: Amanda Veiga Sardeli, Carmen Porto Ribeiro, Claudia Regina Cavaglieri, Daisa Fabiele Godoi Moraes, Mara Patrícia Traína Chacon-Mikahil, Victor Bueno Gadelha e Wellington Martins dos Santos.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.9 - n.2 - 2017

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Verificar a associação entre capacidades funcionais e qualidade de vida de idosos sedentários.MÉTODOS: Foram selecionados 48 idosos (16 homens e 32 mulheres) sedentários para a pesquisa. As capacidades funcionais avaliadas foram: preensão manual (dinamômetro Jamar), velocidade de marcha (4,6m), teste de agilidade (time up and go –TUG) e o teste de levantar e sentar da cadeira. A qualidade de vida foi avaliada através do questionário WHOQOL-bref, considerando os domínios físico, psicológico, relações sociais e meio ambiente. Foram separados os grupamentos de maior e menor desempenho em cada capacidade funcional através da divisão por grupamentos K. Comparou-se os grupos de melhor e de pior desempenho para todos os domínios de qualidade de vida através do teste Mann-Whitney.RESULTADOS: A força de preensão manual foi significantemente associada à qualidade de vida total (r=0,3). Além disso, os grupos de maior força de preensão manual e maior velocidade no TUG apresentaram maior qualidade de vida.CONCLUSÕES: A força de preensão manual é a principal capacidade funcional diretamente associada à qualidade de vida de idosos. Este achado reforça a importância do treinamento de força muscular em programas voltados à qualidade de vida desta população.

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/5916

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.