Incidência de Deficiências Nutricionais e Níveis de Atividade Física em Obesos e em Indivíduos Submetidos à Cirurgia Bariátrica

Por: Daniele Aparecida Capelato Pagan.

70 páginas. 2015 01/04/2015

Send to Kindle


Resumo

A obesidade tornou-se um importante problema de saúde pública, tendo um aumento surpreendente nas últimas três décadas. Dentre os tipos de tratamentos realizados em relação à obesidade mórbida, a cirurgia bariátrica (CB) tem sido considerada a ferramenta mais eficaz. Contudo, por promover extensas alterações no trato gastrointestinal a CB aumenta o risco de deficiências nutricionais. Por outro lado, a prática regular de atividade física (AF) pode contribuir para a manutenção da massa muscular e, consequentemente, promover melhoras no estado geral de saúde. Dessa forma, este trabalho teve como objetivo avaliar a incidência de deficiências nutricionais em indivíduos obesos (não operados) e em pacientes que passaram pelo tratamento cirúrgico da obesidade, bem como a descrição de seus níveis de atividade física. Este trabalho fez parte de um projeto amplo realizado pelo Núcleo de Estudos Multiprofissional da Obesidade, sendo utilizado o método de consulta a banco de dados para sua construção. Foram realizadas avaliações de composição corporal, exames bioquímicos e de urina e questionários para coleta de informações. Constituíram 156 indivíduos, sendo 38 do grupo não operado (NO), 95 operados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e 23 operados planos de saúde ou fins próprios (SAS). Quando analisadas as variáveis bioquímicas, o grupo NO já apresentava deficiências nutricionais de cálcio e fósforo urinário, ferro sérico, magnésio e ferritina. O grupo SUS apresentou deficiências de cálcio, fósforo e ferro sérico, cálcio urinário, magnésio, ferritina e vitamina B 12. Já o grupo SAS apresentou deficiências de proteínas totais, cálcio urinário, ferro sérico, magnésio, ácido fólico e ferritina. Na análise por tempo de cirurgia, foi presente na totalidade dos indivíduos, independentemente do tempo, no grupo SUS deficiência de ácido fólico e no grupo SAS cálcio sérico e vitamina B12. Quanto à prática de atividade física, a maioria dos estudados participa tanto no lazer quanto na atividade de trabalho de modalidades consideradas sedentárias ou moderadamente ativas. Na tentativa de associação da variável atividade física com as deficiências nutricionais, o único dado significativo foi quando comparada a ferritina na atividade física, onde o grupo exercício regular apresentou a ferritina acima dos valores recomendados quando comparado ao grupo sedentário e exercício moderado. Todas as demais comparações não obtiveram diferença significativa. Sendo assim, é importante o acompanhamento dos indivíduos a fim de verificar as alterações do peso ao longo dos anos. Porém, para que o efeito da perda ponderal aconteça de forma a garantir a saúde e o estado nutricional após a cirurgia é de suma importância o acompanhamento nutricional tanto no pré-operatório quanto no pósoperatório.

Endereço: http://nou-rau.uem.br/nou-rau/document/?code=vtls000220932

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.