Incidência de Lesões Musculoesqueléticas em Atletas de Elite do Basquetebol Feminino

Por: Alexandre Sabbag da Silva, Mauro Fisberg e Rene Jorge Abdalla.

Acta Ortopédica - v.15 - n.1 - 2007

Send to Kindle


Resumo

O basquetebol é esporte competitivo, com alta incidência de lesões de contato e movimentação.

OBJETIVO: determinar a incidência de lesões musculoesqueléticas em atletas de elite do basquetebol feminino.
MATERIAL E MÉTODOS: foram analisadas prospectivamente 66 atletas adultas, 18 a 37 anos (média: 23), de 5 equipes durante o Campeonato Paulista da Divisão A1 (setembro de 99 a janeiro de 2000). Os dados referentes a atleta e as lesões que ocorreram no período, foram registradas por fisioterapeuta.
RESULTADOS: foram computadas 78 lesões, em 47 das atletas (71,2%). A incidência de lesão foi de 2,6 lesões/ atleta/ 1000 jogos/treinos, com maior incidência nos jogos. A entorse, com 33%, foi o diagnóstico mais comum especialmente na região do tornozelo, seguida da contusão (24%). O joelho com 21% das lesões, mão/dedos, com 17%, perna/coxa e tornozelo com 14% cada, foram as regiões mais lesadas. O contato com outro atleta foi o principal mecanismo de lesão. Não encontramos relação entre diagnóstico, idade, posição e região anatômica lesada, mas atletas mais novas foram menos afetadas. A maioria das lesões foram leves (88,5%) e a região do joelho foi a de maior morbidade. As sobrecargas deste esporte foram mais visíveis na região lombar e joelho, exigindo programas intensivos de prevenção e acompanhamento de atletas de elite no basquetebol feminino.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-78522007000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.