Incidência do Limiar de Fadiga Eletromiográfica em Diferentes Músculos Durante Protocolo Incremental em Cicloergômetro

Por: , Alexandre Rosas Batista, Eduardo Bodnariuc Fontes, Leandro Ricardo Altimari, Mara Patrícia Traína Chacon-Mikahil e Ricardo Okada Triana.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

O limiar de fadiga eletromiográfica (LFEMG) representa a intensidade de
esforço, em protocolo incremental, na qual ocorre um aumento não-linear do
sinal eletromiográfico. Estudos recentes demonstram dificuldades em
determinar o LFEMG em alguns músculos. Assim, o objetivo do presente
estudo foi verificar incidência do limiar de fadiga eletromiográfica nos músculos
Vasto Lateral (VL), Vasto Medial (VM), Reto Femoral (RF) e Sóleo (SO) durante
protocolo incremental em cicloergômetro. Fizeram parte do estudo 14
indivíduos do sexo masculino (76,0 ± 9,6 kg e 175,8 ± 7,3 cm) os quais,
realizaram um teste incremental em cicloergômetro (modelo Corival 400,
Quinton Inc, USA) do tipo rampa, com carga inicial de 0W, com incrementos
de 20W/min. Os experimentos eletromiográficos foram feitos no Laboratório
de Estudos Eletromiográficos (LEE) da FEF/UNICAMP de acordo com o
preconizado pelo ISEK (1999). A atividade eletromiográfica foi registrada por
meio de um equipamento com oito canais (modelo MP150, BIOPAC Systems
Inc, USA), com freqüência de amostragem de 2000Hz e filtro de freqüência
de passagem de 20Hz a 500Hz. Foram utilizados ainda, eletrodos bipolares de
captação ativa (modelo TSD 150, BIOPAC Systems Inc, USA) com distância
entre eletrodos de dois centímetros e sua colocação foi feita seguindo a
padronização proposta por SENIAM. Os valores referentes à incidência do
LFEMG para cada músculo são expressos em percentual. Além disso, para
cada músculo foi calculado o coeficiente de variação (CV). A partir dos
resultados, foi possível determinar o LFEMG em 50% dos sujeitos no músculo
VL, 50% no músculo VM, 93% no músculo RF e 57% no músculo SO. O CV
dos músculos VL, VM, RF e SO foram de 0,17, 0,28, 0,25 e 0,35;
respectivamente. Para este protocolo o LFEMG determinado através do
músculo RF foi identificado em um maior número de sujeitos quando
comparado aos demais músculos analisados. Suporte: Processo FAPESP 04/
12589-0.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.