Incontinencia Urinaria e Atividade Fisica: Uma Revisão da Literatura

Por: Aletha Silva Caetano.

66 páginas. 2007 22/02/2007

Send to Kindle


Resumo

A incontinência urinária é definida como ?queixa de qualquer perda involuntária de urina?. Apesar da incontinência urinária não ameaçar a vida das mulheres que apresentem os sintomas, ela causa danos de ordem social, econômica e emocional podendo assim influenciar de forma negativa na qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária. O objetivo desta pesquisa foi realizar uma revisão bibliográfica sobre a incontinência urinária entre mulheres que praticam atividades físicas e esportivas e suas implicações acerca dessa prática. Essa dissertação foi redigida sob a forma de três artigos que já foram submetidos à publicação. O primeiro artigo intitulado ?Incontinência urinária e a prática de atividades físicas?, corresponde à revisão bibliográfica relacionada com a prevalência da incontinência urinária entre mulheres atletas e não atletas durante atividades físicas e esportivas. O segundo artigo intitulado ?Atividade sexual, exercícios perineais e incontinência urinária?, refere-se à sexualidade da mulher com incontinência urinária. O terceiro artigo, ?Incontinência urinária entre estudantes de Educação Física? corresponde a um trabalho no qual foi verificada a freqüência de perda de urina entre estudantes de Educação Física. Os dados da literatura mostraram que a prática de atividades físicas e esportivas constituídas de exercícios que exijam muito esforço e alto impacto pode contribuir para o desenvolvimento da incontinência urinária. Muitas mulheres com incontinência urinária abandonam a prática de atividades físicas e esportivas para evitarem perder urina durante essa prática, pois essa perda causa vergonha, constrangimento além de interferir no desempenho durante o exercício físico. Contudo, inexistem pesquisas na área da educação física que discutam esse tema. Algumas estratégias para prevenir a incontinência urinária entre mulheres que praticam atividades físicas devem ser consideradas pelo profissional de Educação Física buscando proporcionar a essas mulheres maior conforto, segurança, confiança e evitar que ocorra o abandono dessa prática. Mulheres de todas as idades devem ser estimuladas a contraírem o assoalho pélvico, e essa estimulação pode ser feita durante a prática de atividades físicas simultaneamente aos exercícios físicos e treinamentos esportivos ou de forma isolada. Através de orientações adequadas o profissional de Educação Física pode transformar a prática de atividades físicas e esportivas numa intervenção preventiva da incontinência urinária. Estabelecendo uma relação de confiança com sua aluna e com sua atleta, esse profissional pode contribuir com a diminuição do abandono por essas mulheres da prática de atividades físicas e esportivas e garantir que possam usufruir dos benefícios inerentes à prática de atividades físicas orientada na prevenção da incontinência urinária.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000418466&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.