Indícios de Uma Euro-futebolização no Sul do Brasil

Por: Rodrigo Koch.

FuLia - v.3 - n.3 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Descrição da cultura juvenil futebolizada na Região das Hortênsias, especialmente, de Canela/RS, com traços muito próximos do que Giulianotti (2012) caracteriza como o torcedor pós-moderno ou flâneur. O estudo utiliza metodologias pós-estruturalistas; sendo que neste recorte são apresentados dados de pesquisas bibliográficas, quantitativos e qualitativos, a partir da aplicação de um questionário seguido de entrevistas com inspiração etnográfica. O objetivo foi compreender o processo contemporâneo de futebolização e como este se relaciona com a construção das identidades juvenis. A futebolização dos jovens produz um sujeito com poucos vínculos com os clubes de futebol locais, pois são muito mais interessados no sucesso de agremiações e celebridades estrangeiras e/ou europeias da modalidade.

Referências

ALABARCES, Pablo. Cidadania e narrativas nacionais do futebol argentino contemporâneo. Eco-Pós. Brasil, v. 5 (1), p. 27-36, 2002.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ANDRADE, Paula Deporte de; COSTA, Maria Vorraber. Usos e possibilidades do conceito de pedagogias culturais nas pesquisas em estudos culturais em educação. Textura, Canoas, v. 17, n. 34, p. 48-63, 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BAUER, Martin W; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

CANCLINI, Néstor García. Culturas híbridas. São Paulo: EDUSP, 2003.

DAMO, Ariel Sander. Futebol, engajamento e emoção. In: HELAL, Ronaldo; AMARO, Fausto. (orgs.). Esporte e mídia: novas perspectivas: a influência da obra de Hans Ulrich Gumbrecht. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2015, p. 49-94.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Lisboa: Edições Antipáticas, 2005.

GIULIANOTTI, Richard. Sociologia do futebol: dimensões históricas e socioculturais do esporte das multidões. São Paulo: Nova Alexandria, 2010.

GIULIANOTTI, Richard. Fanáticos, seguidores, fãs e flâneurs: uma taxonomia de identidades do torcedor no futebol. Recorde: Revista de História do Esporte, v. 5, n. 1, p. 1-35, 2012.

GURGEL, Anderson. O futebol como agente da globalização. Revista de Economia & Relações Internacionais, São Paulo, v. 6, n. 12, p. 48-64, 2008.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 15-46, 1997.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HALL, Stuart. Sin garantías: trayectorias y problemáticas en estudios culturales. Lima: IEP, 2010.

KOCH, Rodrigo. Marcas da futebolização na cultura e na educação brasileira. Dissertação (Mestrado em Educação). ULBRA, Programa de Pós-Graduação em Educação, Canoas/RS, 2012.

KOCH, Rodrigo. Identidades em construção: um olhar sobre a futebolização da juventude no Ensino Médio. Tese (Doutorado em Educação). UFSM, Programa de Pós-Graduação em Educação, Santa Maria/RS, 2018.

LIPOVETSKY, Gilles. Da leveza: rumo a uma civilização sem peso. Barueri, SP: Manole, 2016.

LOUZADA, Roberto. Identidade e rivalidade entre os torcedores de futebol da cidade de São Paulo. Esporte e Sociedade. Ano 6, n. 17, 2011.

MORAES, Roque. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela Análise Textual Discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

SILVA, Juremir Machado. A sociedade midíocre. Porto Alegre: Sulina, 2012.

STEINBERG, Shirley R. Kindercultura: a construção da infância pelas grandes corporações. In: SILVA, Luiz Heron et al. (Orgs.). Identidade social e a construção do conhecimento. Porto Alegre: SMED/POA,1997.

 

Endereço: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/fulia/article/view/14083

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.