Influência da Suplementação Aguda de Cafeína Sobre o Desempenho Muscular Durante a Extensão de Joelhos Unilateral com Restrição do Fluxo Sanguíneo

Por: Diego Brito de Souza.

2016 31/08/2016

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar o efeito da suplementação aguda de cafeína sobre o desempenho físico em três séries de extensão unilateral de joelho com restrição do fluxo sanguíneo. Como objetivos secundários, foram avaliados o efeito da suplementação de cafeína sobre as percepções subjetivas de esforço e dor; e o efeito da suplementação de cafeína sobre a concentração de lactato sanguíneo. MÉTODOS: Em um delineamento crossover duplo cego, 16 homens (21,9 ± 5,5 anos; 76,6 ± 6,1 kg; 175,3 ± 4,9 cm) experientes em treinamento resistido por 2,3 ± 1,4 anos, ingeriram 6 mg/kg de cafeína ou placebo 1 hora antes de realizarem o exercício de extensão unilateral de joelho com restrição de fluxo sanguíneo até a falha concêntrica, com intervalo de um minuto entre as séries e com uma carga de 30% de 1RM. O valor de restrição de fluxo sanguíneo foi de 80% do valor de restrição total do fluxo sanguíneo. RESULTADOS: Não foi identificada diferença significativa entre o número de repetições realizadas nas condições de suplementação de cafeína e placebo na 1ª série (27,9 ± 6,6 vs 25,6 ± 4,8; p=0,10), 2ª série (9,8 ± 3,5 vs 9,6 ± 3,4; p=0,89) e 3ª série (3,1 ± 4,9 vs 3,0 ± 3,9; p=0,92). Também não foi encontrada diferença significativa (p=0,17) entre os valores de lactato sanguíneo para a cafeína (7,1±1,5 mmol/L) e placebo (6,4±1,3 mmol/L). Da mesma forma, não foi verificado diferença significativa para os valores de percepção subjetiva de esforço entre cafeína e placebo, sendo (6,5 ± 1,67 vs 6 ± 2; p= 0,23) para a 1ª série; (8,2 ± 1 vs 8,2 ± 1,3; p= 1,00) para a 2ª série e (9,3 ± 0,7 vs 9,3 ± 0,8; p=1,00) para a 3ª série. De forma similar, para percepção subjetiva de dor também não foi encontrado diferenças significativas, sendo (5,2 ± 2,4 cm vs 6 ± 2,2 cm; p=0,12) para a 1ª série; (7,6 ± 1,4 cm vs 8,2 ± 1,3 cm; p=0,18) para a 2ª série e (8,9 ± 0,9 cm vs 9,3 ± 0,8 cm; p=0,40) para a 3ª série entre as condições cafeína e placebo respectivamente. CONCLUSÃO: A suplementação aguda de cafeína não foi capaz de alterar o desempenho físico, percepção subjetiva de esforço, percepção subjetiva de dor e lactato sanguíneo no exercício de extensão unilateral de joelhos com restrição de fluxo sanguíneo.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000207759

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.