Influência de Um Programa de Danças Circulares na Capacidade Funcional de Idosos Cuidadores de Indivíduos com Doença de Alzheimer

Por: D. I. Corazza, J. L. R. Costa, L. Scarpari, R. F. Santos-galduróz e R. V. Pedroso.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

A doença de Alzheimer (DA) é uma neuropatologia de etiologia desconhecida que acaba por interferir nas atividades ocupacionais. O cuidador assumirá a responsabilidade da gestão dos cuidados deste idoso, o que pode gerar uma sobrecarga tanto psicológica quanto física. As danças circulares são um tipo de atividade física de caráter predominantemente aeróbio que podem auxiliar na melhora da capacidade funcional desta população. Objetivo: Analisar a influência de um protocolo sistematizado de danças circulares na capacidade funcional de cuidadores de indivíduos com DA. Métodos: Participaram do estudo um 18 cuidadores de indivíduos com DA, onde 14 participaram de um protocolo sistematizado de danças circulares (GT) e 4 cuidadores participaram do grupo controle (GC), mantendo suas atividades rotineiras. A média de idade para os grupos foram: GT (69±8,9) e GC (74±11,5). Os instrumentos para avaliação da capacidade funcional utilizados foram: Bateria de testes motores da AAHPERD e Teste de levantar e sentar da cadeira em 30 segundos. O protocolo sistematizado de danças circulares teve um período de 12 semanas, com aulas de 60 minutos realizadas três vezes por semana em dias alternados. Os dados foram expressos em média e desvio padrão. Para testar a normalidade dos dados foi utilizado o teste de Shapiro Wilk. Para a comparação entre grupos foi utilizado o teste t para amostras independentes e o teste t pareado foi utilizado para comparação intragrupos, admitindo nível de significância de 5%. Resultados: Foi encontrada uma diferença entre os grupos no momento pré-intervenção para as variáveis coordenação e agilidade. Os resultados do GT foram assinalados por estatística descritiva de: flexibilidade (Pré: 54,0±10,9; Pós: 55,5±12,5); coordenação (Pré: 11,5±1,3; Pós: 10,8±1,43); Agilidade e equilíbrio dinâmico (Pré: 21,9±3,2; Pós: 20,8±2,0); resistência de força (Pré: 24,9±3,9; Pós: 23,6±4,6); capacidade aeróbia (Pré: 550,3±105,1; Pós: 516,6±79,9); teste de levantar e sentar da cadeira (Pré: 16,4±3,1; Pós: 19,4±4,8). Para o GC os resultados nos momentos pré e pós-intervenção foram: flexibilidade (Pré: 54,5±16,6; Pós: 52,2±13,3); coordenação (Pré: 14,7±5,6; Pós: 15,6±27,1); Agilidade e equilíbrio dinâmico (Pré: 27,1±7,3; Pós: 26,8±8,0); resistência de força (Pré: 21,5±6,1; Pós: 21,5±6,2); capacidade aeróbia (Pré: 546,5±84,5; Pós: 546,7±64,0); teste de levantar e sentar da cadeira (Pré: 16,0±4,6; Pós: 15,2±4,2). Foi encontrada diferença significativa intragrupo para GT na variável capacidade aeróbia (p= 0,07). Conclusão: As danças circulares parecem exercer uma influência positiva na capacidade aeróbia de cuidadores de indivíduos com DA, sendo viável a sua aplicação a esta população.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.