Influência do Ciclo Menstrual na Força Muscular e Percepção de Esforço em Atletas de Natação

Por: André Luiz Teixeira, Eveline Moreira Moraes, Ingrid Bárbara Ferreira Dias, Lua Santos Fortes e Roberto Simão.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.23 - n.4 - 2015

Send to Kindle


Resumo

RESUMO: A influência das diferentes fases do ciclo menstrual (CM) no desempenho físico tem sido alvo de diversos estudos. Entretanto, os achados relacionados à força muscular ainda permanecem controversos. O objetivo do presente estudo foi verificar a influência do CM na força muscular e percepção subjetiva do esforço (PSE) em atletas de natação usuárias de contraceptivos orais. Dez atletas das categorias Sênior e Júnior (18,7 ± 1,6 anos; 64,4 ± 5,4 kg; 165,0 ± 0,0 cm) realizaram, de forma aleatória, três sessões experimentais, sendo uma em cada fase do CM: folicular (1º ao 4º dia do CM), ovulatória (12º ao 15º dia) e lútea (21º ao 27º dia). A força muscular foi avaliada pelo teste de dez repetições máximas (10RM) nos exercícios: leg-press 45º, puxada pela frente, agachamento livre e supino reto. A PSE foi verificada através da escala OMINI-RES (0 a 10). Os resultados demonstraram que a carga para 10RM na puxada pela frente foi maior na fase ovulatória (33,0 ± 2,58 kg) em comparação a fase folicular (30,5 ± 1,58 kg; p < 0,05). No agachamento houve diferença entre as fases folicular (70,0 ± 20,68 kg; p < 0,05) e lútea (78,3 ± 20,47 kg; p < 0,05). Para a PSE, houve diferença apenas no supino reto entre as fases folicular e lútea (7,8 ± 1,23 vs. 9,0 ± 1,25, respectivamente; p < 0,05). Podemos concluir que as diferentes fases do CM podem alterar a força muscular e a PSE em atletas de natação que utilizam contraceptivos orais.

Endereço: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/5190

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.