Influência do Exercício de Natação Sobre a Regeneração do Nervo Mediano em Ratos Wistar Controles e Obesos Após Protocolo de Lesão Por Compressão Nervosa

Por: Josinéia Gresele Coradini.

91 páginas. 2014 10/02/2014

Send to Kindle


Resumo

Atualmente a obesidade é considerada uma desordem nutricional comum, sendo um dos mais relevantes problemas de saúde pública na sociedade moderna e um possível fator de risco para síndrome do túnel do carpo, a qual é a patologia mais relacionada à compressão do nervo mediano. Esta pesquisa é de caráter experimental com abordagem quantitativa e qualitativa tendo como objetivo avaliar a influência do exercício de natação como terapia na regeneração nervosa periférica de ratos controles e obesos, submetidos à lesão compressiva do nervo mediano. Ratos Wistar neonatos durante os primeiros cinco dias de vida receberam injeções subcutâneas de MSG.(4g/kg de peso corporal ao dia). O grupo controle recebeu solução salina hiperosmótica. Foram utilizados 48 ratos machos da linhagem Wistar, divididos em 6 grupos: G1 (controle), G2 (controle com lesão), G3 (controle com lesão + natação), G4 (obesos), G5 (obesos com lesão), G6 (obesos com lesão + natação). A compressão nervosa foi realizada por meio de procedimento cirúrgico. O tratamento com natação iniciou no 3º dia de pós- operatório, sendo realizado 5 vezes por semana com duração progressiva. Anteriormente à lesão, os animais foram submetidos a uma avaliação nociceptiva e de força, que se repetiu no 3º dia de pós-operatório e também durante o tratamento no 7º, 14º e 21º dia. Ao fim do tratamento, com os animais anestesiados, o nervo mediano foi retirado e processado para emblocamento em parafina e preparado para análise proteica do BDNF e GAP-43. O limiar de dor na região medial, próximo a compressão nervosa, foi menor na segunda e na terceira avaliação quando comparadas as demais avaliações, e os grupos G5 e G6 apresentaram menor limiar nociceptivo nas avaliações. Na análise da força de preensão no momento da primeira avaliação todos os grupos foram iguais entre si, porém nas outras avaliações os grupos G1 e G4 mostraram-se significativamente diferentes dos demais. Os grupos G1 e G4 apresentaram as estruturas de forma organizada, com bainhas de mielinas marcadas pelo tetroxido de ósmio. Já os demais grupos apresentaram uma grande desorganização tecidual, com diminuição considerável da bainha de mielina, entretanto, foi possível verificar áreas de recuperação da fibra nervosa, pela formação da bainha de mielina nos grupos G3 e G6. A expressão proteica de BDNF foi maior nos grupos G3 e G6 quando comparado aos grupos G1 e G4. A proteína GAP-43 somente foi maior no grupo G3 quando comparado aos grupos G1 e G4. O exercício de natação foi capaz que potencializar o processo de regeneração axonal tanto em ratos controle quanto em ratos obesos, não ocorrendo distinção entre estes grupos, porém não foi eficaz na melhora da funcionalidade do membro acometido como também no aumento das proteínas estudadas.

Endereço: http://tede.unioeste.br/handle/tede/645

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.