Influência da Ingestão de Gatorade Por Atletas no Desempenho Físico em Provas Eminentemente Aeróbicas

Por: .

205 páginas. 1993 27/12/1993

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi de avaliar os efeitos da ingestão dos hidratantes comerciais sobre o rendimento em atividades esportivas eminentemente aeróbicas, em atletas masculinos. Foram avaliados 20 atletas praticantes de ciclismo (n = 9), corrida (n = 5), natação (n = 5) e triatlo (n = 1), apresentando as seguintes características: (média ± DP), (24.9 ± 5.73 Idade), (67.280 ± 8.870Kg - Peso), (11.18 ± 2.14 - %G), 61.44 ± 7.84 VO2 máx ml (Kg. min)-1. Inicialmente os atletas foram avaliados para determinar do VO2máx. Com o resultado apurado, cada atleta foi submetido a um exercício físico a 70% do VO2máx em um cicloergômetro eletromagnético (FUNBEC) por um período máximo de até 2 horas, em duas situações diferentes, com intervalo de 7 dias, onde à primeira o indivíduo fazia uma hidratação com água, e na segunda utilizando hidratante comercial (Gatorade). A fim de reproduzir o máximo possível as mesmas condições durante os dois tratamentos, foram controladas as seguintes variáveis: intensidade do exercício (Watts), velocidade (Km/h), temperatura ambiente (17 a 22 C), umidade relativa do ar (65 à 72%), pressão atmosférica, velocidade do vento, freqüência de hidratação (intervalos de 15 minutos), quantidade de solução oferecida por freqüência (200 ml), temperatura do líquido (11 à 15 C) e horário de realização dos protocolos (7 às 10 h.) Durante o primeiro e segundo tratamento foram analisados os seguintes dados: Freqüência Cardíaca, Temperatura Cutânea, Temperatura Auricular, Índice de Percepção de Esforço. As variáveis, Glicose Sangüínea, Potássio, Sódio, Cálcio, Magnésio, Hematócrito, Creatinina e Peso Corporal, foram analisados, antes e depois dos tratamentos, sendo ainda registrado o tempo máximo de execução. Não foram encontradas diferenças significativas independentemente do tipo de hidratação nos seguintes dados: Perda de peso corporal, hematócrito, Mg, Ca, K e creatinina. Entretanto quando da ingestão do Gatorade, houve um aumento significativo do tempo de execução máxima do exercício (p < 0,005), dos níveis de glicose sangüínea (p < 0,0001), da temperatura auricular (p< 0,01), da temperatura cutânea (p < 0,01), bem como uma redução considerada significativa da freqüência cardíaca (p < 0,00003), quando comparado a ingestão com água. Em relação ao comportamento do sódio, este foi maior no grupo hidratado com água (p < 0,01), em comparação ao grupo quando hidratado com Gatorade. Comportamento, semelhante pode ser observado no monitoramento do IPE (30 min: p< 0,04; 45 min: p< 0,005; 60 min: p < 0,002; 75 min: p < 0,004; 90 min: p < 0,03; 105 min: p < 0,02; 120 min: p < 0,02). Baseado no objetivo, na revisão de literatura e nas discussões dos resultados, conclui-se que: o consumo do hidratante comercial (Gatorade) apresenta uma vantagem em relação ao consumo com água, ao compararmos o tempo máximo de execução do exercício, sendo desta forma imprescindível para atletas de endurance de grande duração, como triatlo, maratona, travessias e ciclismo de estrada.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=1864&listaDetalhes%5B%5D=1864&processar=Processar

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.