Influência de Um Programa de Exercício Físico na Saúde Mental e na Aptidão Funcional de Idosos Usuários dos Centros de Saúde de Florianópolis

Por: .

183 páginas. 2009 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desse estudo foi analisar a influência de um programa de exercício físico na saúde mental e na aptidão funcional dos idosos usuários dos Centros de Saúde de Florianópolis, Santa Catarina. A amostra incluiu os idosos, de ambos os sexos, cadastrados nos Centros de Saúde e participantes do Programa Floripa Ativa - Fase "B", do período de junho de 2006 a julho de 2008. Os idosos foram avaliados em períodos pré-estabelecidos que totalizaram, ao máximo, sete avaliações. Dessa forma, a amostra variou de 118 a 129 idosos, sendo observada predominância do sexo feminino (85,9%) e média de idade de 69,5 anos (DP: 0,72). Os instrumentos utilizados foram: anamnese (informações sócio-demográficas); Mini-Exame do Estado Mental (MEEM); Geriatric Depression Scale (GDS-15); Questionário Internacional de Atividade Física - forma longa (IPAQ); bateria de testes físicos da American Aliance for Health, Physical Education, Recreation & Dance (AAHPERD); lista de frequência (chamada). Utilizou-se a estatística descritiva (média, desvio padrão, frequência e percentual) e a estatística inferencial (teste t de Student para amostras pareadas, teste de Friedman, teste de Wilcoxom, correlação de Pearson e Spearman), adotando nível de significância de 5%. Dentre os resultados, antes da inserção no programa de exercício físico, 81,4% dos idosos eram ativos (somatório dos quatro domínios do IPAC) e 36,8% afirmaram não praticar atividades físicas no lazer. De acordo com as diferentes avaliações, a frequência de suspeita à depressão variou de 7% a 24%, enquanto 9,1% a 19,4% dos idosos apresentaram pontuação abaixo do normal no MEEM. Observou-se melhora da classificação do Índice de Aptidão Funcional Geral (IAFG) de "fraco" para "regular e bom", com aumento da média geral da primeira avaliação (x=231,79; DP=43,53).Verificou-se tendência de redução dos escores depressivos, aumento da pontuação do MEEM e do IAFG. No entanto, foi detectada diferença estatisticamente significante somente para os idosos que tiveram assiduidade no programa de exercício físico (p=0,008, p=0,05 e p

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2472&listaDetalhes%5B%5D=2472&processar=Processar

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.