Ingestão de Carboidratos e Proteína em Cápsulas Durante o Exercício Nocalor: Efeitos Sobre o Desempenho Físico de Atletas no Estado Alimentado

Por: Aline Regina Gomes.

2008

Send to Kindle


Resumo

Sugere-se que o desempenho físico no calor pode ser limitado por mecanismos centrais. Um dosmecanismos propostos pela literatura associa o aumento da atividade serotonérgica central àfadiga. Diferentes estratégias nutricionais têm sido utilizadas na tentativa de diminuir a atividadeserotonérgica central e, com isso, aumentar o desempenho. O objetivo do presente estudo foiverificar se a ingestão de carboidratos e proteína em cápsulas durante o exercício no calor (31ºC e50% URA) melhoraria o desempenho físico de atletas no estado alimentado. Dez atletas do sexomasculino (26 ± 1 anos; 64,45 ± 2,42 kg; 1,7 ± 0,3 m; 5,38 ± 0,52 % de gordura; potência pico 323± 13 W; freqüência cardíaca máxima 190 ± 2 bpm; VO2max. 70,71 ± 2,8070.7 ± 2.8 mLO2.kg-1.min-1) participaram do estudo. Em uma câmara ambiental, os voluntários pedalaram 60 km comintensidade auto-selecionada, sendo que sprints de um km foram realizados no 14º, 29º, 44º e 60ºkm. Os voluntários foram submetidos aleatoriamente a três situações experimentais, quandoingeriam durante o exercício: somente água (H2O), água + cápsulas contendo isolado de proteínado soro do leite (PTNc, 3,9%); água + cápsulas contendo carboidratos (CHOc, 6%). As duasúltimas situações foram realizadas em duplo-velado. Durante o exercício, as ingestões ocorriamaos 5, 15, 30, 45 e 55 km. Amostras de sangue foram obtidas antes do exercício e aos 9, 24, 39,54 e 60 km, por meio de um cateter posicionado em uma veia superficial do antebraço. Os dadosforam analisados pelo Delineamento em Quadrado Latino e pelo Modelo Geral Linear, seguidode post hoc de Tukey HSD, quando apropriado. Não foram observadas diferenças no tempo deexercício em 60 km e na duração dos sprints entre as três situações experimentais. Ao longo doexercício, não foram identificados efeitos da ingestão de PTNc e CHOc sobre os ácidos graxoslivres, triptofano (TRP), uréia, prolactina, percepção subjetiva do esforço, freqüência cardíaca,temperatura interna e lactato. Por outro lado, a glicose plasmática e a insulina sérica forammaiores em CHOc. A concentração plasmática de aminoácidos de cadeia ramificada (AACR)aumentaram e a razão TRP/AACR diminuiu durante PTNc. A ingestão de carboidratos ouproteína em cápsulas não aumentou o desempenho físico no calor, embora tenham alteradoalguns dos componentes periféricos propostos pela Hipótese da Fadiga Central.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/KMCG-7S3LEK

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.