Inspirações Freirianas e Educação Física Escolar: a Organização do Currículo em Uma Comunidade de Aprendizagem Brasileira

Por: , , e Valdilene Aline Nogueira.

Motrivivência - v.31 - n.59 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Paulo Freire é um autor que influencia educadores/as progressistas nos mais diversos espaços, como as Comunidades de Aprendizagem (CA), que começam a surgir e a se destacar no Brasil e na América do Sul. Objetivamos entender como a obra freiriana foi interpretada na construção do currículo de Educação Física (EF) de uma CA com o intuito de refletir a respeito de possíveis aproximações entre esse ideário e as bases filosófico/pedagógicas do componente curricular. O método consistiu em analisar e interpretar o referencial teórico do documento curricular da CA buscando identificar ideias freirianas presentes nele. O resultado da análise mostra que o currículo da EF visa ao desenvolvimento de senso crítico dos/das estudantes a partir da interpretação da cultura corporal de movimento e que existe a ideia de que é importante ser fisicamente ativo para efetivar uma postura cidadã na sociedade.

Referências

ANASTASIOU, L. Metodologia do ensino superior: da prática docente a uma possível teoria pedagógica. IBPEX Autores Associados, 1998.

ÂNCORA, Currículo da Educação Física, In: QUADROS, F. Pra não virar bocó: Retratos da Ensinagem da Educação Física. Monografia de graduação, UNICAMP - Campinas – SP, 2014.

APPLE, M.; AU, W.; GANDIN, L. A. Educação crítica: análise internacional. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BRACHT, V. A Constituição das Teorias Pedagógicas em Educação Física. Caderno Cedes, Campinas, ano XIX, n. 58, p. 69 – 88, 1999.

________. BRACHT, V. Educação Física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1992.

BRACHT, V; CAPARROZ, F. E.; DELLA FONTE, S. S.; FRADE, J. C.; PAIVA, F.; PIRES, R. Pesquisa em ação. 3ª ed. Ijuí: Unijuí, 2007.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 7ª ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

CALLEJA, J. M. R., Os professores deste século. Algumas reflexões. Revista Institucional Universidad Tecnológica Del Chocó, v. 27, n. 1, p. 109-117, 2008.

CAPLLONCH, M; FIGUERAS, S. Educación física y comunidades de aprendizaje. Estudios pedagógicos (Valdivia), v. 38, n. ESPECIAL, p. 231-247, 2012.

CATELA, H. Comunidades de aprendizagem: em torno de um conceito. Revista de educação, v. 18, n. 2, p. 31-45, 2011.

CORREIA, M. S.; MIRANDA, M. L. de J.; VELARDI, M. A prática da educação física para idosos ancorada na pedagogia freireana: reflexões sobre uma experiência dialógica-problematizadora. Movimento. Porto Alegre, v. 17, n. 4, p. 281-297, 2011.

DEWEY, J. A escola e a sociedade. A criança e o currículo. Lisboa: Relógio D’Água, 2002.

FRANÇOSO, S.; NEIRA, M. G. Contribuições do legado freireano para o currículo da Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 36, n. 2, 2014.

FREIRE, P. Educação: o sonho possível. Obra de Paulo Freire; Série Capítulos, 1982.

________. Pedagogia do Oprimido. 17ª Ed. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra., 1987.

________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

________. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 12ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREIRE, P.; NOGUEIRA, A. S. Que fazer: teoria e prática em educação popular. Obra de Paulo Freire; Série Livros, 1989.

GOODSON, I. F. Currículo: teoria e história. 4ª ed. São Paulo: Editora Vozes, 2001.

HERNÁNDEZ, F.; VENTURA, M. A organização do currículo por projetos de trabalho. O conhecimento é um caleidoscópio. 5ª ed., Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

HABERMAS, J. Teoria de la Acción Comunicativa: racionalidad de la acción y racionalización social. Vol.1. Madrid: Taurus, 1987.

KILPATRICK, W. R. Educação para uma civilização em mudança. 12ª ed. São Paulo: Melhoramentos, 1974.

KUNZ, E. Educação Física: ensino e mudanças. Ijuí: Unijuí, 1991.

________. Transformação didático-pedagógica do esporte. Ijuí: UNIJUÍ, 1994.

LIBÂNEO, J. C. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítica-social dos conteúdos. 8ª ed. São Paulo: Loyola, 1989.

MEDINA, J. P. S. A Educação Física cuida do corpo...e “mente”: bases para a renovação e transformação da Educação Física. Campinas: Papirus, 1983.

NOGUEIRA, V. A. A Pedagogia da Educação Física: diálogos e reflexões em uma Comunidade de Aprendizagem. Dissertação de Mestrado. Universidade São Judas Tadeu: São Paulo, 2016.

NUNES, M. L. F; RÚBIO, K. O Currículo(s) da Educação Física e a constituição da identidade de seus sujeitos. Currículo sem fronteiras, v. 8, n. 2, p. 55-77, 2008.

RAMÓN S.; RUTH J., Education for social change? A Freirean critique of sport for development and Peace, 2014. Physical Education and Sport Pedagogy, v. 18, n. 4, p. 442-457, 2013.

SÃO PAULO. O menino popular e a Educação Física. Secretaria Municipal de Educação: DOT, 1990.

SOARES, C. L.; TAFFAREL, C. N. Z.; VARJAL, E.; CASTELLANI FILHO, L.; ESCOBAR, M.O.; BRACHT, V. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. Artmed Editora, 2009.

VENTORIM, S. Caracterização do esporte segundo a orientação didático-pedagógica da teoria de Paulo Freire. Motrivivência, v. XI, n. 14, p. 187-198, 2000.

 

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2019e56430

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.