Interferência das Formas de Deslocamento nas Variáveis Funcionais e Hemodinâmicas

Por: Arthur Gonzalez, Gilmar Ribeiro e Heitor Prates de A. Júnior.

Revista Baiana de Educação Física - v.5 - n.2 - 2004

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar vari·veis funcionais e hemodin‚micas entre indivÌduos que se deslocam de forma ativa e passiva para o trabalho. A amostra foi composta por funcion·rios do sexo masculino, de empresas variadas, situadas na cidade de Santo Antonio de Jesus-BA, com idade variando de 20 a 61 anos, sendo que 18 se deslocavam de forma ativa (andando ou de bicicleta) e 16 de forma passiva (veÌculo), na ida e na volta do trabalho. Para a coleta de dados, foram utilizados question·rio, Teste ErgomÈtrico (TE) - protocolo de Bruce - e alguns instrumentos (aparelho de press„o anerÛide e estetoscÛpio). Os resultados foram analisados atravÈs do programa estatÌstico STATA 7.0. N„o houve uma associaÁ„o significativa entre a PAS e a forma de deslocamento utilizada pelo sujeito. No entanto, o valor do VO2 m·ximo apresentou uma associaÁ„o estatisticamente significante com a forma de deslocamento utilizada. Os resultados tambÈm sugerem uma tendÍncia ‡ reduÁ„o de um dos fatores de risco de desenvolvimento de DAC (PAS > 129mmhg) naquelas pessoas que se deslocam de forma ativa para o trabalho.

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.