Introdução do Esporte Moderno em Maranhão: Novos Apontamentos Para Sua História ? 1907/1910

Por: .
Send to Kindle


INTRODUÇÃO DO ESPORTE MODERNO EM MARANHÃO: Novos Apontamentos para sua História – 1907/1910

 

por

LEOPOLDO GIL DULCIO VAZ

Professor de Educação Física – CEFET-MA; Mestre em Ciência da Informação

A História é um rio, que ao receber águas de seus afluentes vai aumentando de nível. Em determinado momento as águas se dividem. Mais adiante, elas se unem novamente. Em determinados trechos, formam-se os deltas e os meandros. A água corre mais lentamente no centro do rio, mas nas suas margens elas são velozes. (in ALBUQUERQUE e FIGUEIREDO, 2004)[1]

                                                      

Desde 1985 venho buscando escrever uma História dos Esportes, do Lazer e da Educação Física no Maranhão[2]. Naquele ano fui responsável pela disciplina História da Educação Física e dos Desportos, do Curso de Educação Física mantido pela então Escola Técnica Federal do Maranhão – hoje, CEFET-MA. Exasperava-me não ter qualquer informação sobre essa História no Maranhão. Não sabia, até então, que o jornalista Dejard Ramos Martins tinha um livro publicado sobre o assunto[3]; somente em 1991 o encontrei...

A oportunidade surgiu (1996/97) quando do Doutoramento em Ciências Pedagógicas[4]: poderia escrever sobre essa história, juntando algum material que vinha elaborando de algum tempo – desde 1989, para ser mais exato, pelas “provocações” de dois pesquisadores alemães que vinha estudando a lúdica e o movimento dos índios Kanelas – Jürgen Dieckert e Jakob Mehringer ...[5]

Em 2002, apresentei uma primeira versão d’A INTRODUÇÃO DO ESPORTE MODERNO EM MARANHÃO, Durante o VIII Congresso Brasileiro de História da Educação Física, Esportes, Lazer e Dança realizado em Ponta Grossa-Paraná.  De lá para cá venho me dedicando a novas descobertas, engrossando as águas caudalosas desse rio...

Neste início de 2004, voltei-me novamente às buscas junto ao arquivo da Biblioteca Pública “Benedito Leite”, encontrando novas informações sobre essa história que está sendo contada. Passemos ao movimento dos clubes esportivos e de algumas modalidades nesses primeiros anos de implantação do esporte moderno no Maranhão:

NO FABRIL ATHLETIC CLUB[6]

           Fundado em outubro de 1907, já a 02 de janeiro de 1908 realiza uma Assembléia Geral, para admissão de novos sócios e inclusão de novas modalidades esportivas[7]. No dia 12/01 inicia-se a temporada esportiva daquele ano[8], com um match de foot-ball entre o Red x Black, as duas equipes internas, em que os associados eram divididos.

Além do jogo de futebol houve uma partida de law tennis[9], em virtude de desafio havido entre os adeptos do jogo; as disputas seriam entre J.M.A Santos (Nhozinho) 6x  0 J. B. Moraes Rego, no simples; já nas duplas, seria entre Nhozinho Santos/J. C. Guimarães  6x  4 J. Moon/J. B. Moraes Rego [10]

Em fevereiro de 1908, sob o título de “Carnaval”[11] é anunciada a inauguração da iluminação elétrica na sede desse clube e a realização de um concurso de “atletismo carnavalesco”, assim organizado:

  • 1 as 3 – raid asmático (?);
  • 2 as 3:30 – handicap pedestre
  • 3 as 4 – concurso de peso
  • 4 as 4;30 – ensacados (corrida de saco ?)
  • 5 as 5:30 – match de foot-ball
  • 5 as 5:30 – Tug of war (corda – cabo de guerra).

Em abril, sob o título Sport, é anunciada para breve uma disputa de corrida pedestre[12], cros country, em que tomarão parte grande número de corredores dos mais resistentes que possui o Club. Em maio, na mesma coluna, dizia-se que a anunciada corrida pedestre ainda era aguardada pelos sócios, confirmada pelo jornal a sua realização na edição de 10 de maio. Nesse mês, é realizada uma corrida, improvisada, devido as fortes chuvas que caíram, impedindo a realização do match de foot-ball programada [13].

Finalmente, em junho, é realizada a corrida de cross-country anunciada de a dois meses[14].: Participaram: J Mário; J. Moon; Shipton; Anthero; M. Neves; C. Neves, A. Vieira;, J. Bastos; que correram 900 metros em pista desconhecida e com obstáculos. Devido à falta de exercícios preparatórios, alguns concorrentes não concluíram, sentindo-se incomodados, convindo notar que todos haviam almoçado copiosamente, isto num dia em que deveriam fazer exercícios daquela natureza. Venceram J. Mário, seguido muito de perto de J. Moon, chegando em terceiro Anthero e em quarto Shipton.

           Na Segunda semana do mês de junho, a tarde fora toda tomada pela inauguração do clube de foot-ball infantil.[15], muito embora em maio tenha havido uma partida envolvendo crianças, de 10 anos de idade, que seria jogada na quadra de tênis, com a duração de 20 minutos, dividido em dois tempos de 10 minutos com cinco de descanso; as inscrições deveriam ser feitas pelos pais[16]

           Como no mês de abril as chuvas vinham caindo torrencialmente, as partidas de futebol estavam suspensas, para evitar danos ao gramado do campo. Para os sócios não ficarem sem atividades, estava-se programando algumas partidas de crocket e law tennis[17], assim como uma disputa de atletismo – cross-country, em que deveriam tomar parte grande número de corredores.

           O FAC promove uma alteração em seus estatutos para incluir, dentre suas atividades, exercícios militares para os sócios. Naquela época, em função do Regulamento da lei de Reorganização do Exército, algumas organizações, com a assistência de oficiais do Exército, poderiam oferecer essas atividades, dispensando-se os jovens de sentar praça.[18].Em outubro, é realizado os primeiros exercícios de infantaria, com a realização de marchas e voltas[19]

           Nesse mesmo mês, é apresentado o programa de aniversário do Clube – segundo – com a realização de duas partidas de futebol, entre o FAC x Maranhense e entre duas equipes da Escola de Aprendizes Marinheiros: Riachuelo (Estrela Preta) x Humaitá. Esses eram os nomes dos dois escaleres daquela escola, que se batiam nas regatas realizadas na Beira-Mar.

           Naquele ano de 1908, um dos mais atuantes sócios – inclusive seu diretor de esportes – Jasper Moon, despedia-se de São Luís. O FAC organiza um festival esportivo em sua homenagem[20].

           Logo a seguir, no mês de dezembro, é eleita a nova diretoria, constituída pelos srs. Manoel Gonçalves Moreira Nina (Presidente); Carlos Peixoto Costa Rodrigues (Vice); José Alves dos Santos (primeiro secretário) e Carlos Alves A Neves (segundo secretário); e tesoureiro, Edmundo José Fernandes. A diretoria de “sports” coube a João Baptista Moraes Rego Júnior. Como suplentes, Alfredo Lima, Wilson Araújo e Aluísio Azevedo.[21].

           Como primeira iniciativa da nova diretoria, foi promovido um match de xadrez nos salões do clube, a ter início no dia 16 de dezembro daquele ano de 1908 – o primeiro que tem lugar neste estado, informa o cronista d’ A Pacotilha[22]; “há grande animação para o torneio no qual tomarão parte os srs. Drs. João Pedro de Albuquerque, Clodoaldo Freitas, Euvaldo Nina e os srs. Joaquim M. Gomes de Castro, Franklin Costa Ferreira, Alexandre Nina e o tenente Luso Torres. É elaborado o Regulamento do Torneio e indicada a comissão arbitral, e o sorteio dos enxadristas, disputando-se duas partidas por dia:

  • João Pedro x João Penaforte
  • Clodoaldo Freitas x Joaquim Castro;
  •  

no dia 20:

  • Luso Torres x Alexandre Nina
  • Franklin Ferreira x Euvaldo Nina.
  •  
  • A Comissão Arbitral foi ficou formada por João Pedro Albuquerque, Clodoaldo Freitas e o Tent. Luso Torres. Seriam jogadas 64 partidas entre os cavalheiros citados.[23]
  • Em 1910, logo no início de janeiro, é inaugurada a pista de Boliche - introduzindo-se mais uma modalidade -, montada na parte fronteira do edifício do Clube[24]

           Na edição d’ A Pacotilha de 1º de maio, Sábado, é anunciada a realização da segunda rodada, do concurso de futebol, entre os jogadores do FAC e do Maranhense[25];  mesma nota, é anunciado um Torneio de Crockt, a ser disputado logo após o término do Campeonato de Foot-ball. No dia 09 de maio, é realizado o sorteio dos oito (8) grupos que o disputariam [26]

           1º grupo – H. Aranha e R.N.M. Pereira

           2º grupo – J. Mário e F. Aguiar

           3º grupo – P. Oliveira e J. Santos

           4º grupo – J. M. Santos e C. V. Reade

           5º grupo – J. Ribeiro e C. E. Clisold

           6º grupo – E. Silva e F. Fernandes

           7º grupo – J. Santos Sobrinho e M. Sardinha

           8º grupo – C. Rodrigues e M. Nina

no primeiro Domingo jogariam 6 x 1; no seguinte, 3 x 8; no terceiro, 5 x 7 e no última rodada, 2 x 4.

NO CLUBE EUTERPE[27]

           Talvez motivados pelas realizações dos jovens do FAC, Pantaleão Santa Cruz informa que “a luzida rapaziada do Euterpe organizam ultimamente a sua secção de sport, o que constitui notável melhoramento, cuja falta se fazia sentir nesta capital”[28]       

Em 1909, é planejado um Torneio de Bilhar [29], iniciado em 25 de maio[30], com término dia 04 de junho, com o seguinte resultado[31]:

           Campeão – Arthur Paraíso

           Vice-campeão – Adolfo Paraíso

           Terceiro lugar – João Nunes.

           No Sábado, 12 de junho, fez-se a entrega dos prêmios aos vencedores, ao mesmo tempo em que é anunciado um Torneio de Gamão[32].

Em julho, surge a primeira crise desse clube, que chegou a fechar suas portas, porém reabrindo[33]. Em 1911, após inúmeras crises, o clube é fechado definitivamente, com seus sócios fundando o Casino Maranhense...

          

NO MARANHENSE FOOT-BALL CLUB[34]

           O FAC cede suas instalações para que o Maranhense Foot-Ball Club realize seu festival de inauguração no dia 07 de fevereiro de 1909, jogando as duas equipes internas dos Green 3 x 0 Blue.[35] A diretoria do novo clube era formada por Almir Saldanha da Silva (presidente); João Torres (vice-presidente).[36]

           Como aconteceu com o FAC, cujos preparativos e “ensaios” de futebol vinham acontecendo desde 1905, também os sócios fundadores do Maranhense de há muito vinham preparando o início de suas atividades, tanto que em abril de 1908 já era anunciada para breve[37] sua inauguração. Em 24 de dezembro, os sócios são convocados para uma assembléia, para tratar da inauguração, sendo anunciada a sede do novo clube na Rua de Santo Antonio, 28, local da reunião.[38]

           Em março, é realizada uma partida de futebol entre essa agremiação e o Derby Club, saindo vencedor aquele por três gols[39]. A partida foi jogada no campo do Maranhense, que – como de costume à época – foi desafiado para uma nova partida.

TIRO MARANHENSE

           O “Tiro Maranhense” é inaugurado, com 150 sócios, tendo na Presidência Henrique da Costa Alves Nogueira.  A inauguração desse “clube” deve-se ao aproveitamento da Lei de Reorganização do Exército, em que era permitido aos jovens a filiação, sob a orientação de um oficial do Exército, para receber orientações sobre marchas e concurso de tiro – exercícios militares. Em contrapartida, aqueles que participassem dos exercícios, estariam dispensados em servir o quartel.

           Muitos clubes esportivos se aproveitaram da Regulamentação dessa Lei, oferecendo uma secção de Tiro, orientada por um oficial. Como aconteceu com o FAC e o Maranhense.

REGATAS

           É anunciada a saída de um “boi a cavalo” (sic) do Bazar Sulamericano (Rua do Sol), que percorrerá as ruas da cidade anunciando a grande regata que se realizará  no próximo Domingo, assim como a briga de galo, em frente ao mesmo bazar (A Pacotilha, 19 de fevereiro de 1908).

O colunista da Chronica, do Avante! deseja aos criadores do novo clube de regatas melhor sorte, desta vez, diante da idéia surgida (06/06/908, n. 385); na edição seguinte(n. 386, de 15 de junho de 1908) é anunciado que o novo clube de regatas é uma realidade, tendo recebido o nome de Tiradentes.

Em setembro de 1908, é realizada mais uma regata[40], não se informando se promovida pelo Clube Tiradentes, recém-inaugurado...

CORRIDA A CAVALO[41]

           No dia 16 de fevereiro de 1908 é anunciada uma corrida a cavalo pel’ A Pacotilha. Com início as 5 ½ da tarde, seria realizada na Rua do Sol com partida de frente do palacete 40 pares, até a esquina do Bazar Sulamericano. Participariam seis cavaleiros “muitíssimos amestrados, farão desfilar magníficos cavalos pampas para isso ensaiados pela rua abaixo até o ponto marcado tirando o que primeiro puder a bandeira do posto, que dará o sinal de prêmio. Pede-se aos assistentes que se conservem nos passeios para poderem ver. Após, começará uma grande batalha de confete e rodó”.

 

[1] ALBUQUERQUE, Paulo Kastrup; FIGUEIREDO, Carlos. A HISTÓRIA E SUAS FACES: intentio operis, intentio auctoris & intentio lectoris. Disponível em <http://www.geocities.com/aotil/kastrup.html>   Capturado em 10/02/2004, 4 páginas.

[2] Ver Bibliografia do Autor em notas no fim do artigo.

[3] MARTINS, Dejarde Ramos, ESPORTE: U MERGULHO NO TEMPO. São Luís : SIOGE, 1989

[4] Curso oferecido pelo CEFET-MA, em convênio com ISTEPS, de Cuba; depois, com o ICCP de Havana-Cuba, não concluído.

[5] DIECKERT, Jurgen & MEHRINGER, Jakob. A corrida de toras no sistema cultural dos índios brasileiros Canelas  (relatório de pesquisa provisório). ZEITGSCHIFT MUNCHER Beltrdzur  Vulkerkunde, julho, 1989.

DIECKERT, Jurgen & MEHRINGER, Jakob. Cultura do lúdico e do movimento dos índios Canelas. REVISTA BRASILEIRA DE  CIÊNCIAS DO ESPORTE, Campinas, v. 11, n. 1, p. 55-57, set. 1989.

[6] O FAC foi fundado em 27 de outubro de 1907, por Nhozinho Santos, nas dependências da Fábrica Santa Izabel, de propriedade de sua família, e estava localizado no Canto da Fabril, onde hoje se situa a Igreja Universal do Reino de Deus, a TV Cidade e a Procuradoria Geral do Estado. In  VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. A inauguração do “foot-ball” em Maranhão, LECTURAS: Educacion Fisica y Deportes, Buenos Aires, no. 24, agosto de 2000, disponível em www.efdeportes.com

[7]  Pacotilha, 02 de janeiro de 1908

[8]  Pacotilha, 07 de janeiro de 1908, Terça-feira, n. 5

[9] Para saber mais, ver VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. Tênis no Maranhão. In O IMPARCIAL, São Luís, 17/01/2000, p. 15; e VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. Apontamentos para uma história do Tênis no Maranhão. In LECTURAS: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, no. 68, janeiro de 2004, disponível em www.efdeportes.com/efd68/tenis.htm

[10] Pacotilha, 11 de janeiro de 1908, n. 9; 13 de janeiro de 1909, n. 10;

  Revista Typográphica, ano II, n. 7, São Luís, 31 de janeiro de 1908, p. 4).

[11] Pacotilha”, 21 de fevereiro de 1908

[12] A Pacotilha, São Luís, Quarta-feira, 15 de abril de 1908

[13] Revista Typographica, n. 10, 12 de maio de 1908, p. 22

[14] Pacotilha, de 08 de junho de 1908

[15] Avante!” de n. 386, de 15 de junho de 1908,

[16] Pacotilha, Segunda-feira, 25 de maio de 1908

[17] Pacotilha, Quarta-feira, 15 de abril de 1908. Para saber mais, ver VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. Tênis no Maranhão. In O IMPARCIAL, São Luís, 17/01/2000, p. 15; e VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. Apontamentos para uma história do Tênis no Maranhão. In LECTURAS: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, no. 68, janeiro de 2004, disponível em www.efdeportes.com/efd68/tenis.htm

[18] Pacotilha, 18 de setembro de 1908

[19] Pacotilha, 05 de outubro de 1908

[20] Pacotilha, 28 de novembro de 1908

[21] Pacotilha, 07 de dezembro de 1908

[22] Pacotilha, 15 de dezembro de 1908

[23] Pacotilha, 19 de dezembro de 1908

[24] Pacotilha, Sábado, 29 de janeiro de 1910

[25] Pacotilha, 1º de maio de 1909, sábado

[26] Pacotilha, Segunda-feira, 10 de maio de 1909

[27] Fundado em 1904, com sede no Palacete que pertenceu ao pai de Benedito Leite; foi sede d’ O Imparcial, e atualmente sofre por uma reforma. In  VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. A inauguração do “foot-ball” em Maranhão, LECTURAS: Educacion Fisica y Deportes, Buenos Aires, no. 24, agosto de 2000, disponível em www.efdeportes.com

[28] AVANTE!, São Luís, 07 de junho de 1907, n. 245, Chronica).

[29] Avante, 04 de abril de 1909, n. 432.

[30] Pacotilha, 25 de maio de 1909

[31] Pacotilha, Sexta-feira, 04 de junho de 1909

[32] Pacotilha, Sábado, 12 de junho de 1909

[33] Avante, 08 de julho de 1909, n. 437

[34] In  VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. A inauguração do “foot-ball” em Maranhão, LECTURAS: Educacion Fisica y Deportes, Buenos Aires, no. 24, agosto de 2000, disponível em www.efdeportes.com

[35] Pacotilha, 08 de fevereiro de 1909

[36] Avante, 05 de fevereiro de 1909, n. 418

[37] Pacotilha, 15 de fevereiro de 1908

[38] Pacotilha, 19 de dezembro de 1908

[39] Pacotilha, Segunda-feira, 30 de março de 1908

[40] Pacotilha, 14 de setembro de 1908

[41] para saber quando foi implantada as corridas a cavalo em São Luís, ver VAZ, Delzuite Dantas Brito; VAZ, Leopoldo Gil Dulcio. Hipodrismo Em Maranhão. In CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA  EDUCAÇÃO FÍSICA, ESPORTES, LAZER E DANÇA, VIII, Ponta Grossa, novembro de 2002, Coletâneas ..., disponível em CD-ROOM.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.