Jajeroky Jevy Javya Jova Haguã - em Português, Dancemos Novamente Para Sermos Felizes. em Guarani, Foi o Jeito Que Um Professor de Educação Física Encontrou Para Mexer com a Garotada de 1ª a 4ª Série e Recuperar Antigas Tradições Indígenas Adormecidas

Por: Ricardo Falzetta.

Nova Escola - n.200 - 2007

Send to Kindle


Resumo

Ismael Morel é professor de Educação Física na Escola Mbo’eroy Guarani/Kaiowa, aldeia de Amambai, sul de Mato Grosso do Sul.Em 2006, ele foi eleito Educador Nota 10 e recebeu o troféu do Prêmio Victor Civita por ter ensinado danças guaranis aos seus alunos - todos dessa mesma etnia. Sim, na aldeia de Ismael é preciso aprender na escola algo que, em tese, deveria fazer parte da tradição cultural. Por que isso acontece?A resposta está no processo histórico pelo qual passaram todas as nações indígenas que aqui viviam antes da chegada dos europeus, há mais de 500 anos, e que tiveram contato com o chamado mundo civilizado. Os guaranis, em particular, eram nômades. Ocupavam extensas áreas de terra e estabeleciam suas aldeias ora num local, ora noutro, conforme as condições de subsistência. Eram um povo alegre e amistoso. Dançavam para comemorar, para batizar seus filhos suas sementes. Dançavam para reverenciar a natureza, dançavam nas cerimônias religiosas. Com os processos de catequização e escravização disparados no período colonial, essa cultura milenar e a sabedoria acumulada havia gerações foram sendo anuladas à força e à custa de milhares de mortes.

Endereço: http://revistaescola.abril.com.br/educacao-fisica/fundamentos/jajeroky-jevy-javya-jova-hagua-423976.shtml

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.