Jogar e Aprender a Conviver : a Construção das Relações Morais Infantis em Situações Lúdicas Vivenciadas nas Aulas de Educação Física

Por: Giselly Mafra.

2010

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desta pesquisa-ação foi interpretar, descrever e comparar os encaminhamentos dados pelas as crianças na solução de seus conflitos morais em aulas de Educação Física, vivenciando situações lúdicas orientadas ou não por uma professora. A pesquisa foi realizada em uma unidade escolar de Ensino Fundamental da rede municipal de São José/SC, com uma turma de terceiro ano, constituída por 25 crianças entre 8 e 9 anos. Vinte e duas aulas foram filmadas e registradas em um diário de campo. Os dados foram analisados de acordo com a proposta de Turato (2003) e Bardin (2002), através da análise de conteúdo. Foram estabelecidas seis categorias de conflitos morais e sete categorias de encaminhamentos dados a eles. Concluímos que em aulas orientadas, as crianças recorreram a encaminhamentos do tipo “reclamar à professora”, “com mediação da professora”, e “reorganização do jogo”, objetivando solucionar seus conflitos. Em aulas não orientadas, as crianças resolveram seus conflitos “discutindo e argumentando entre elas”, para então “reorganizarem seus jogos”. A análise dos dados desta pesquisa nos permitiu verificar que houve estreita relação dos encaminhamentos dados pelas crianças na solução de seus conflitos morais, com o envolvimento da professora na aula, ou seja, quando ela orientava a aula ou quando apenas a observava.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.