Jogos Olímpicos e o Tênis Brasileiro ? Um Estudo Sobre o Perfil dos Medalhistas e os Fatores Determinantes do Sucesso das Potências Mundiais

Por: Bruno Betelli Arakaki.

34 páginas. 2011 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Com os Jogos Olímpicos Rio 2016, cresce a expectativa em relação ao desempenho do Brasil das modalidades olímpicas. O Tênis brasileiro, apesar do privilégio de exibir um ex nº 1 do mundo, nunca passou das quartas de final na história dos jogos. Pensando em analisar a perspectiva olímpica do Brasil, buscou-se entender o perfil dos medalhistas olímpicos em relação aos marcos na carreira e aos dados relativos a conquista da medalha. Através de pesquisa secundária, e comparação junto as promessas brasileiras para 2012 e 2016, observou-se que os profissionais e os juvenis analisados estarão dentro do perfil dos medalhistas olímpicos nas variáveis etárias e de ranking, de acordo com a posição atual. E paralelamente, revisando a literatura e levantando dados primários e secundários do Brasil, estudou-se os fatores limitantes do sucesso de uma nação no Tênis e sua aplicação ao cenário brasileiro. Entre os resultados identificou-se que, apesar das boas oportunidades competitivas na transição do juvenil para o profissional e melhores resultados no profissional e juvenil internacionalmente, devido a falta de financiamento, apresenta infra-estrutura limitada, difícil acesso ao esporte e ações inexpressivas voltadas ao desenvolvimento.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.