Jornalismo Online e Eleições em 2014: Uma Análise a Partir da Iniciativa Candibook, do Jornal Paranaense Gazeta do Povo

Por: Fabrícia Almeida Vieira, Isabele Batista Mitozo e Sergio Soares Braga.

Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação - v.40 - n.3 - 2017

Send to Kindle


Resumo


O presente artigo tem por objetivo analisar o Candibook como ferramenta de monitoramento da democracia em momento eleitoral e identificar, a partir dos dados disponíveis nessa plataforma, o perfil dos candidatos a Deputado Estadual e Federal, pelo Paraná, em 2014. Parte-se das seguintes hipóteses: 1) o Candibook é uma experiência inovadora que se constitui como uma prática de monitoramento da democracia representativa; 2) a partir dele, pode-se traçar o perfil socioideológico dos candidatos, identificando preferências políticas e propostas. Como metodologia, utiliza-se estatística descritiva aplicada à base de dados construída a partir das informações disponibilizadas no site do Candibook, baseando-se no universo dos respondentes aos questionários aplicados pelo jornal. Dentre os resultados, vê-se que 1) o Candibook é uma importante contribuição do jornalismo para a qualidade da democracia e dos processos eleitorais; 2) os espectros (direita, centro, esquerda) não se diferenciam pelas temáticas mais defendidas por candidatos e candidatas.Referências AGGIO, C.; SAMPAIO, R. Democracia digital e participação: os modelos de consulta e os desafios do Gabinete Digital. In: Gabinete digital: análise de uma experiência. Porto Alegre: Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG), 2013. ALBUQUERQUE, A. Um outro “Quarto Poder”: Imprensa e Compromisso Político no Brasil. Contracampo, n.4, p.23-57, 2000. ______. “Em nome do público”: jornalismo e política nas entrevistas dos presidenciáveis ao Jornal Nacional. E-Compós, Brasília, v.16, n.2, p.1-23, 2013. ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS. Cenário: A indústria jornalística brasileira. Disponível em: . Acesso em: 22. out. 2015. CANAVILHAS, J. M. Do jornalismo online ao webjornalismo: formação para a mudança. Comunicação e Sociedade, v.9, n.10, p.113-119, 2012. COLEMAN, S.; MOSS, G. Governing at a distance – Politicians in the blogosphere. Information Polity, v. 13, n.1-2, p.7-20, 2008. CORRADO, A.; FIRESTONE, C. Elections in cyberspace: Towards a new era in American politics. Aspen Institute: Communications and Society Program, 1996. ISABELE BATISTA MITOZO SÉRGIO SOARES BRAGA Fabrícia Almeida Vieira Intercom - RBCC São Paulo, v.40, n.3, p.169-188, set./dez. 2017 187 DAHLBERG, L. Democracy via cyberspace; mapping the rhetorics and practices of three prominent camps. New Media & Society. Vol 3, n°2, p. 157-177, 2001. FARIA, C.F. O Parlamento Aberto na Era da Internet: Pode o Povo Colaborar com o Legislativo na Elaboração das Leis?. Biblioteca digital da Câmara dos Deputados: Brasília, 2012. FEENSTRA, R.; KEANE, J. Politics in Spain: A case of Monitory Democracy. Voluntas, n.25, p.1262-1280, 2014. GAZETA DO POVO. Informação antes do voto, necessária e disponível. Curitiba, 30 out. 2012. Editorial. Disponível em: . Acesso em: 21 fev. 2015. GOMES, W. A democracia digital e o problema da participação civil na decisão política. Revista Fronteiras – estudos midiáticos, v.2, n.3, p.214-222, 2005. ______. Participação política online: questões e hipóteses de trabalho. In: MAIA, R.; GOMES, W.; MARQUES, F.P.J. Internet e Participação Política no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2011. GROSSMAN, L. The Electronic Republic: Reshaping Democracy in America. New York: Vinking, 1995. HARPER, C. Journalism in a digital age. In: JENKINS, H.; THORNBURN, D. (orgs). Democracy and New Media. Cambridge/London: The MIT Press, 2003. KEANE, J. The life and death of democracy. Londres: Simon & Schuster, 2009. LESTON-BANDEIRA, C.; BENDER, D. How deeply are parliaments engaging on social media? Information Polity, v.18, n.4, p.281-297, 2013. LILLEKER, D. Interactivity and Political Communication: hypermedia campaigning in the UK. Comunicação Pública [Online], v.10, n.18, 2015. MARGOLIS, M.; RESNICK, D. Politics as usual: The Cyberspace “Revolution”. London: Sage, 2000. MARQUES, F.P.J. Participação política e Internet: meios e oportunidades digitais de participação civil na democracia contemporânea, com um estudo do caso do estado brasileiro [Tese de Doutorado]. Universidade Federal da Bahia, Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, 2008. MARQUES, F. P. J.; AQUINO, J.; MIOLA, E. Parlamentares, representação política e redes sociais digitais: perfis de uso do Twitter na Câmara dos Deputados. Opinião Pública, Campinas, v.20, n.2, p.178-203, 2014. QUADROS, D. Jornal impresso e eleições municipais: da opinião à informação nas páginas da Gazeta do Povo. Estudos da Comunicação, Curitiba, v.14, n.35, p.415-430, 2013. RODRIGUES, L. M. Mudanças na classe política brasileira. São Paulo: Publifolha, 2006. ROSSETTO, G.; CARREIRO, R. Democracia digital e sociedade civil: uma perspectiva do estado atual no Brasil. Comunicação e Sociedade, v.34, n.1, p.273-296, 2012. SOARES, M. C. Representações, jornalismo e a esfera pública democrática. São Paulo: Cultura acadêmica, 2009.
 

Endereço: http://www.portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/revistaintercom/article/view/2806

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.