Lazer e Qualidade de Vida na Percepção de Indivíduos com Lesão da Medula Espinal Traumática

Por: Danyane Simão Gomes, Maria Georgina Marques Tonello, Marisa Afonso Andrade Brunherotti e Rodrigo Fenner Bertani.

Licere - v.23 - n.4 - 2020

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve por objetivo investigar as atividades de lazer e a percepção de qualidade de vida de indivíduos com lesão medular. Foi realizado um estudo analítico observacional (quali-quantitativo), com oito participantes. Foram aplicados o questionário sociodemográfico e o World Health Organization Quality of Life Instrument – Physical Disabilities (WHOQOL-DIS-PD) e uma entrevista semiestruturada. Para a análise dos dados foram utilizados software MAXQDA e os testes de Friedman e Wilcoxon (p<0,05). Observou-se significância estatística entre os domínios de QV da amostra total (p=0,017), entre os indivíduos com até 40 anos de idade (p=0,025) e entre os participantes com até 11 anos de lesão (p=0,002). A principal atividade de lazer identificada foi assistir televisão. Diante disso, pôde-se concluir que os indivíduos com lesão medular apresentaram uma boa QV, apesar de apresentarem restrição em suas atividades de lazer.

Referências

AMERICAN SPINAL INJURY ASSOCIATION (ASIA). International standarts for neurological classification of spinal cord injury [online]. Atlanta (US): American Spinal Injury Association; 2019. Disponível em: https://asia-spinalinjury.org/wp-content/uploads/2019/04/ASIA-ISCOS-IntlWorksheet_2019.pdf. Acesso em: 13 jul. 19.

BOSWELL-RUYS, C. L.; et al. Impact of respiratory muscle training on respiratory muscle strength, respiratory function and quality of life in individuals with tetraplegia: a randomised clinical trial. Thorax, v.5, p. 279-288, 2020.

BORGES, A. M. F.; et al. Percepção das pessoas com lesão medular sobre a sua condição. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 33, n. 3, p. 119-125, 2012.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Dispõe sobre o “Estatuto da Pessoa com Deficiência”. Brasília, 2015.

BREDEMEIER, J.; et al. Brazilian version of the Quality of Care Scale: the perspective of people with disabilities. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 48, n. 4, p. 583-593, 2014.

FONTES, F.; MARTINS, B. S. Deficiência e inclusão social: os percursos da lesão medular em Portugal. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 77, p. 153-172, 2015.

FRANÇA, I.S.X.; et al. Percepções de adultos com lesão medular sobre as habilidades para atividades diárias indicadores de saúde à luz da NOC: pesquisa descritiva. Online Braz. J. Nurs. (Online); v. 10, n.2, 2011a.

FRANÇA, I.S.X.; et al. Quality of life of adults with spinal cord injury: a study using the WHOQOL-bref. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. 6, p. 1364-1371, 2011b.

FREITAS, A. R. Validação da versão em Libras do instrumento para avaliação da qualidade de vida de pessoas com deficiências físicas e intelectuais (WHOQOL-DIS/Libras). 2016. 159f. Tese (Doutorado em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

GOMES, D.S.; et al. Uso da realidade virtual como estratégia de reabilitação e lazer para pessoas com lesão da medula espinal: uma revisão integrativa. Licere, v.22, n.3, p. 579-602, 2019.Doi: doi.org/10.35699/1981-3171.2019.15350

KAWANISHI, C. Y.; GREGUOL, M. Avaliação da autonomia funcional de adultos com lesão medular. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 25, n. 2, p. 159-166, 2014.

KUBINSKA, Z.; BERGIER, B.; BERGIER, J. Usage of leisure time by disabled males and females from the Lublin Region. Annals of Agricultural and Environmental Medicine, v. 20, n. 2, p. 341 –345, 2013.

KUVALEKAR, K.; et al. Quality of life among persons with physical disability in udupi taluk: A cross sectional study. Journal of family medicine and primary care, v. 4, n. 1, p. 69, 2015.

MINAYO, M. C. S. O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: HUCITEC, 2004.

NIGHTINGALE, T. E.; et al. Home-based exercise enhances health-related quality of life in persons with spinal cord injury: a randomized controlled trial. Archives of physical medicine and rehabilitation, v. 99, n. 10, p. 1998-2006, 2018.

OLIVEIRA, M.L.V.M.; CARRETTA, R.Y.D. Lazer e participação social na percepção da pessoa com deficiência visual. Licere, v. 23, n. 1, p. 561-581, 2020.Doi: doi.org/10.35699/1981-3171.2020.19802.

PEREIRA, L. S. S.; BRITO, C. M. D.; RODRIGUES, A. A. C. O Lazer da Pessoa com Deficiência Física em Belo Horizonte. Licere, v. 22, n. 4, p. 340-364, 2019. Doi: doi.org/10.35699/1981-3171.2019.16272.

POWER, M. J.; et al. Development of the WHOQOL disabilities module. Quality of Life Research, v. 19, n. 4, p. 571-584, 2010.

REIS, L.P.; COSTA, A.P.; SOUZA, F.N. Análise Comparativa de Pacotes de Software de Análise de Dados Qualitativos. In: ROCHA, Á.; REIS, L. P.; COTA, M. P.; SUÁREZ, O. S.; GONÇALVES, R. (Eds.) Conferência Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação (p. 998-1003). Gran Canária – Espanha: AISTI – Associação Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, 2016.

SERPA, F. S. et al. A especialidade de Alergia e Imunologia Clínica nos diferentes níveis de atenção à saúde no Brasil. Brazilian Journal Allergy and Immunology, v. 2, n. 3, p. 335-343, 2018.

SERRA, M.V.G.B.; FAVA, M.C.; TONELLO, M.G.M. Realidade virtual para pessoas com deficiência: o uso do vídeo game como prática de lazer. Licere, v. 21, n. 4, p. 529-548, 2018.Doi: doi.org/10.35699/1981-3171.2018.1952

Downloads

PDF

Publicado

2020-12-30

Como Citar

Gomes, D. S., Bertani, R. F., Tonello, M. G. M., & Brunherotti, M. A. A. (2020). Lazer e Qualidade de Vida na Percepção de Indivíduos com Lesão da Medula Espinal Traumática. LICERE - Revista Do Programa De Pós-graduação Interdisciplinar Em Estudos Do Lazer, 23(4), 30–50. https://doi.org/10.35699/2447-6218.2020.26634

Endereço: https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/26634

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.