Lazer na Escola: Descompromisso Compromissado.

Por: Hani Zehdi Amine Awad.

96 páginas. 2002

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como propósito conhecer a concepção dos pais dos alunos do Ensino Fundamental da escola Estadual Unidade Pólo da cidade de Maringá – PR sobre, lazer, vida escolar e mobilização social. Procuramos ainda, identificar o perfil dos pais dos alunos no que diz respeito a: sexo, profissão e número de filhos e suas respectivas séries matriculados na escola. Este estudo caracteriza-se como uma pesquisa de campo de caráter descritivo. A pesquisa foi realizada na escola Estadual Unidade Pólo da cidade de Maringá – PR, nessa escola trabalhamos com todos os pais dos alunos do Ensino Fundamental, que compareceram às atividades por nós desenvolvidas aos sábados e domingos durante os meses de outubro e novembro, num total de 50 pais. Utilizamos como instrumento de coleta de dados um questionário misto com quinze questões, sendo onze questões abertas e três questões fechadas. Os questionários foram entregues à 41 pais que participaram das atividades de lazer desenvolvidas nos fins de semana. Além disso, utilizamos também, uma ficha de observação, para destacar falas e situações decorrentes no desenvolvimento de atividades de lazer dentro da escola.No primeiro capítulo, discutimos o lazer e sua relação com o trabalho, buscando compreender as diferentes formas que o lazer assumiu historicamente, desde a Revolução Industrial até os dias atuais. No segundo capítulo, debatemos o entendimento do que venham a ser movimentos sociais e a escola como espaço para implementação desses movimentos. O terceiro capítulo, traz as discussões e os resultados da pesquisa. Constatamos, a partir dos dados coletados e das análises realizadas, que os pais dos alunos do Ensino Fundamental apresentam o seguinte perfil: 78% são mães, 65,8% possuem filhos entre a primeira e quarta série, e a profissão de maior freqüência encontra-se em outros 34,1%, em segundo a profissão "do lar" com 29,3%. Constatamos ainda que, a concepção apresentada pela maioria dos pais sobre lazer, vida escolar e mobilização social é superficial e fragmentada e não leva em consideração os aspectos sociais, econômicos e políticos envolvem estes fenômenos sociais. Face a isso, procuramos delimitar o que venha ser lazer, tendo por base a literatura sobre lazer e trabalho. 0 estudo demonstrou que existem diversos estudos e estes, apresentam diferenças e similitudes acerca da compreensão do que venha a ser lazer. Mesmo considerando as diversas possibilidades de estudos do lazer, verificamos que historicamente, ele sempre foi tratado como um momento de total descompromisso, um momento de liberdade, apesar de existirem alguns autores que não concordam que se deva discutir o lazer, a não ser associado ao trabalho. Buscamos também, revisitar os processos históricos das teorias que discutem o entendimento do que venham a ser movimentos sociais e a escola como espaço para implementação desses movimentos. Acerca da importância do lazer para os pais a grande maioria disse ser de grande importância em suas vidas. Entretanto, quando relacionamos estes dados com a concepção de lazer encontrada, percebemos que existe uma incoerência entre o que pensam sobre o lazer e a importância que atribuem às suas famílias. Em relação ao tempo semanal que as famílias dedicam ao lazer, a grande maioria tem prorrogado o lazer para os finais de semana. Contudo, geralmente estes dias, não possibilitam a realização das atividades de lazer, porque grande parte das famílias não possui títulos de clubes e associações, e a escola que poderia ser um espaço para a prática dessas atividades, encontra-se fechada. A respeito do grau de envolvimento dos pais com o cotidiano escolar, podemos perceber que, a primeira vista existe uma participação razoável dos pais. Contudo, ao observarmos as razões apresentadas pelos pais, notamos que eles não têm tido como preocupação questionamentos sobre a organização da escola, seus conteúdos e seus métodos. Assim, os pais tendem a assumir um papel conformista ou apenas verificador individual de cada filho. Ficando a luta conjunta secundarizada. Com relação ao entendimento dos pais sobre mobilização social, observamos que eles entendem Mobilização Social, como sendo, ações coletivas de ordens especificas, que resultam na organização de um grupo de pessoas, em função de um objetivo comum. Neste sentido, a idéia que os pais possuem sobre mobilização social é reacionária na medida em que atribue às mobilizações a função de reequilibro ou a volta à "normalidade" do sistema social e não a contestação e superação da ordem social estabelecida. Esses dados são evidências de crise, de problemas no âmbito escolar, que vem corroborar com nossa tese inicial, da utilização de atividades de lazer no sentido de trazer as famílias para dentro da escola, como uma forma de aglutinação, e ao mesmo tempo na composição de uma identidade — centrada politicamente — que permita a participação da comunidade nas soluções dos problemas apresentados pela escola. A relação escola/ comunidade podem e devem constituir se em força conjunta e organizada em prol de implementações de lutas reivindicatórias contra a ordem social estabelecida, a partir do lazer.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=572&listaDetalhes%5B%5D=572&processar=Processar

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.