Lazer Juvenil e Consumo de Drogas na Cultura do Skate

Por: , Heloisa Heringer Freitas e .

Em Sociedade - v.1 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Este artigo procurou conhecer práticas corporais desenvolvidas no litoral capixaba, elegendo o skate como modalidade de lazer ligada às manifestações juvenis, e se dedicou a aprofundar as discussões acerca dos modos de consumo juvenis. O lazer compõe parte importante da vida das juventudes e representa espaços-tempos significativo para a formação da identidade e socialização, porém podem se tornar oportunidades de ingresso em comportamentos de risco., Assim apresenta-se paradoxalmente: pode contribuir para o desenvolvimento e socialização e corrobora para fortalecer estigmas de alguns grupos. Igualmente, a cultura das drogas pode ser compreendida como forma social de articulação de atitudes, agregando particularidades na linguagem e no comportamento individual e em grupo. Neste estudo, a prática do skate é vista como estilo de vida e formação de identidade. Objetivou-se conhecer percepções de skatistas sobre sua prática, possíveis relações com o uso de drogas na modalidade e discutir sobre os modos de consumo desta juventude. Trata-se de uma pesquisa exploratória de campo, qualitativa, de observação não participante, com utilização de diários de campo e entrevistas semiestruturadas com grupo de skatistas. Detectou-se consumo de drogas lícitas e ilícitas, maior consumo de álcool em comparação à outras drogas. No entanto, o consumo de bebidas alcoólicas representa efeitos negativo para a prática de manobras. O consumo de maconha exerceu papel socializante, em contradição a outros grupos juvenis que atribuem às bebidas alcoólicas esta função. A partir destes resultados preliminares, entendemos que a juventude não representa um grupo homogêneo, do mesmo modo é distinto o consumo de drogas entre esta população, portanto, diversificado e heterogêneo.

Referências

ABRAMO, H. W. Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, n. 5, p. 25-36, 1997.

BRAIN, K.; MEASHAM, F. ‘Binge’ drinking, British alcohol policy and the new culture of intoxication. Crime, Media, Culture. Vol. 1, No. 3, 12. 2005. p. 262-263.

BRANDÃO, L. A cidade e a tribo skatista: juventude, cotidiano e práticas corporais na história cultural. Dourados: Editora UFGD, 2011. 160p.

CALAFAT, A. et al. Mediadores recreativos y drogas. Nueva área para laprevención, Palma de Mallorca: IREFREA, 2007.

DUFF, C. Drugs and Youth Cultures: Is Australia Experiencing the 'Normalization' of Adolescent Drug Use. Journal of Youth Studies. Vol. 6, No. 4, 2003.

ESPINHEIRA, G. Os tempos e os espaços das drogas. In ALMEIDA, A.R.; NERY FILHO, A.; MACRAE, E.; TAVARES, L. A.; FERREIRA, O.S. Drogas: tempos, lugares e olhares sobre seu consumo. Salvador: Edufba, 2004.

FREIRE, T. Ócio e tempo livre: perspectivar o lazer para o desenvolvimento. Revista Galego Portuguesa de Psicoloxia e Educación, vol.7, nº5, 345-349. 2001.

GALLIANO, L. M.; MAYER, S. M. Motivos que levam os skatistas à prática do esporte: um estudo comparativo entre os estados do Paraná e Rio Grande do Sul. 2009.

GOMEZ, J. P. Drogas, consumo y culturas juveniles. Revista Humanitas, n.5, pag. 84 a 94.s/d.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5ª Ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LE BRETON, D. Condutas de risco: dos jogos de morte ao jogo de viver. Tradução Lólio Lourenço de Oliveira – Campinas, SP: Autores Associados, 2009.

LIPOVETSKY, G. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

ROMERA, L. A. Juventude, lazer e uso abusivo de álcool. 2008. 135f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas,

ARTIGOS CIENTÍ FICOS

REVISTA DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS – PUC MINAS – V. 1, N. 1; P. 62 -75, 2018.

Campinas, 2008.

SODELLI, M. Uso de Drogas e Prevenção: da desconstrução da postura proibicionista às ações redutoras de vulnerabilidades. São Paulo: Iglu, 2010.

TRIVIÑOS, A. N. S. Pesquisa qualitativa. In: ______. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1987.

Endereço: http://periodicos.pucminas.br/index.php/emsociedade/article/view/18586

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.