Lesões Orofaciais Decorrentes da Prática Desportiva.

Por: Yuri Victor de Medeiros Martins.

56 páginas. 2015 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

A literatura é ampla quando se busca a prevalência de traumatismos faciais em esportistas, chegando a patamares de 75% em alguns estudos. Diante disso, buscou-se avaliar a presença de lesões orofaciais no meio esportivo e a sua relação com o uso dos protetores bucais. Para tanto, 248 praticantes de esportes variados passaram por um processo de esclarecimento sobre o tema e posteriormente responderam a um questionário proposto. Para conferir maior clareza e confiabilidade, os resultados foram tratados mediante a aplicação de testes estatísticos, como o teste exato de Fisher, Odds Ratio e a regressão logística, todos com um índice de confiabilidade de 95%. Em relação às injúrias orofaciais na prática esportiva, 81% dos indivíduos afirmaram já ter sofrido alguma lesão e dentre estes atletas 72% não utilizam o protetor no momento do acidente. O protetor bucal termoplástico foi o mais utilizado pelos esportistas, com 71% das respostas. Lacerações de tecido mole e fraturas dentais foram os tipos de lesões que mais acometeram os praticantes de esportes, com 24,6% e 20,2% respectivamente. Pode-se concluir que a experiência de injúrias orofaciais foi alta, a utilização dos protetores bucais foi mediana e que é preciso um forte trabalho no sentido de regularizar e divulgar a importância da proteção bucal em atletas profissionais e amadores

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.