Levantamento Epidemiológico da Pressão Arterial e Avaliação Nutricional em Crianças com Síndrome de Down na Escola Especial Apae no Município de Umuarama - Pr

Por: Cristiane Vicentino Benato, Dagoberto Vicentino, Evellyn Francyelle da Silva, Juliana Brumatti Matos, Maisa Gonçalves Jorge dos Santos e Regiane Cosmo.

Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar - v.8 - 2004

Send to Kindle


Resumo

Crianças com Síndrome de Down podem exibir numerosos problemas médicos com maior freqüência do que ocorre em crianças normais (PUESCHEL, 2002). Estudos demonstram que crianças com esta deficiência apresentam uma certa tendência para obesidade, problemas cardiovasculares, doenças das gengivas, desordens convulsivas, apnéia do sono, entre outros (SHILS, 2003). Os aspectos nutricionais durante a primeira infância, mostram que em algumas crianças com Síndrome de Down, apresentam problemas de alimentação e aumento do peso abaixo do esperado, principalmente em casos que se tem doença cardíaca congênita severa. As crianças podem comer mal e não se desenvolver conforme o esperado. Entre tanto, assim que o defeito cardíaco congênito for reparado, as crianças com Síndrome de Down começam a ganhar peso adequadamente (KRAUSE, 2003). Na adolescência em pessoas mais velhas com Síndrome de Down, é muitas vezes percebido um incremento no aumento de peso. Isso se deve, provavelmente, a diminuição da atividade física e aumento de consumo alimentar. Entretanto algumas crianças com Síndrome de Down apresentam aumento de peso mesmo com o consumo calórico normal, podendo estar relacionado com as disfunções das glândulas da tireóide (PUESCHEL,2002). A doença cardíaca congênita é observada em aproximadamente 40% das crianças com Síndrome de Down. O problema mais comum esta relacionada com a parte central do coração, onde os orifícios nas paredes entre as câmaras e o desenvolvimento anormal das válvulas cardíacas podem estar presentes. Sendo importante detectar problemas cardíacos na primeira infância, porque muitas crianças com doença cardíaca severa podem desenvolver parada cardíaca, podendo estacionar no seu desenvolvimento e/ou podem adquirir aumento de pressão nos vasos dos pulmões (PUESCHEL, 2002). Os dados obtidos na literatura nos mostra vários problemas no aspecto clínico dessas crianças, assim o objetivo desse trabalho é realizar uma avaliação mais detalhada no aspecto nutricional e relação obesidade/pressão arterial nessas crianças com Síndrome de Down na Escola Especial APAE no Município de Umuarama. PALAVRAS-CHAVE: avaliação nutricional; pressão arterial; Síndrome de Down.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.