Literatura, Esportes e Regionalismo no Brasil: o Grande Desportista, de Pascoal Toti Filho

Por: Cleber Dias.

Aletria: Revista de Estudos de Literatura - v.26 - n.3 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Trabalhos que analisam livros ficcionais sobre esporte destacam o potencial dessas obras de codificar e divulgar percepções que exprimam uma escala de valores a respeito desta prática. No Brasil, tais análises têm enfatizado o uso da literatura como recurso para articulação de uma identidade nacional, exagerando o papel desempenhado por obras e escritores de regiões metropolitanas, ao mesmo tempo em que ocultam, em contrapartida, a diversidade regional que afetou esse campo de atividades. Além das obras de nomes literários consagrados ou publicadas nos centros metropolitanos brasileiros, uma literatura ficcional e jornalística sobre esporte teve lugar também em regiões do hinterland brasileiro. Com o propósito de revelar parte desta diversidade, este artigo apresenta e analisa o romance O grande desportista, de Pascoal Toti Filho, publicado em 1922, em Uberaba, Minas Gerais. O artigo enfatiza dois assuntos facilmente destacáveis como elementos para análise histórica na obra: as relações de gênero e geopolíticas entre a capital de São Paulo e o interior de Minas Gerais.

Referências

ANTUNES, Fátima Martin Rodrigues Ferreira. “Com brasileiro não há quem possa!”: futebol e identidade nacional em José Lins do Rego, Mário Filho e Nelson Rodrigues. São Paulo: Ed. Unesp, 2004.

ARGUS. Notas sportivas. O Gaiato, Uberaba, n. 3, p. 3-4, 25 jul. 1920.

BALE, John. Anti-sport sentiments in literature: batting for the opposition. New York: Routledge, 2010.

CAPRARO, André Mendes. Identidades imaginadas: futebol e nação na crônica esportiva brasileira do século XX. 2007. 374 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

DRUMOND, Maurício. Nações em jogo: esporte e propaganda política em Vargas e Perón. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

FOOT-BAALL (sic). Jornal do Triângulo, Uberaba, n. 89, p. 2, 29 set. 1918.

FOOT-BALL. A Separação, Uberaba, n. 109, p. 2, 21 maio 1922.

FRANZINI, Fabio. Corações na ponta da chuteira: capítulos iniciais do futebol brasileiro (1919-1938). Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

FRANZINI, Fábio. Futebol é “coisa para macho”? Pequeno esboço para uma história das mulheres no país do futebol. Revista Brasileira de História, São Paulo, USP, v. 25, n. 50, p. 315-328, 2005.

GASTALDO, Edson L.; GUEDES, Simone Lahud (Org.). Nações em campo: Copa do Mundo e identidade nacional. Niterói: Intertexto, 2006.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Bela, maternal e feminina: imagens da mulher na revista Educação Physica. Ijuí: Unijuí, 2003.

GOKSOYR, Matti. Nationalism. In: POPE, Steven W.; NAURIGHT, John (Ed.). Routledge companion to sports history. New York: Routledge, 2009.

HOLLANDA, Bernardo Borges Buarque de. O descobrimento do futebol: modernismo, regionalismo e paixão esportiva em José Lins do Rego. Rio de Janeiro: Edições Biblioteca Nacional, 2004.

IANNI, Octavio. A idéia de Brasil moderno. São Paulo: Brasiliense, 1992.

MELO, Victor Andrade de. Mulheres em movimento: a presença feminina nos primórdios do esporte na cidade do Rio de Janeiro (até 1910). Revista Brasileira de História, São Paulo, USP, v. 27, n. 54, p. 127-152, 2007.

MINAS contra São Paulo. A separação, Uberaba, n. 109, p. 2, 21 maio 1922.

MINAS, João de. Prefácio. In: TOTI FILHO, Pascoal. O grande desportista. Uberaba: Typographia A Século XX, 1922. p. I-V.

PONTES, Hildebrando. História do futebol em Uberaba. Uberaba: Academia de Letras de Uberaba, 1972.

ROSSO, Mauro. Lima Barreto versus Coelho Neto: um Fla-Flu literário. Rio de Janeiro: Difel, 2010.

SANTOS, Henrique Sena dos. Nos gramados do sul: a seleção baiana de futebol e o torneio do Centenário da Independência em 1922. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 17, n. 2, p. 469-504, 2012. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/rhr/ article/view/4373/3248. Acesso em: 30 ago. 2016.

SANTOS, João Casquinha Malaia; DRUMOND, Maurício. A construção de histórias do futebol no Brasil (1922 a 2000): reflexões. Tempo, Niterói, v. 17, n. 34, p. 19-31, jun. 2013. Disponível em: http://www.historia.uff.br/tempo/site/wp-content/uploads/2013/06/ v17n34a03.pdf. Acesso em: 26 jul. 2016.

SANTOS, Ricardo Pinto dos. Comemorando o Brasil: que Brasil? In: SANTOS, João Manuel C. Malaia; MELO, Victor Andrade de (Org.). 1922: celebrações esportivas do centenário. Rio de Janeiro: 7Letras, 2012. p. 163-182.

SCHPUN, Mônica Raisa. Beleza em jogo: cultura física e comportamento em São Paulo nos anos 20. São Paulo: Boitempo Editorial, Editora SENAC, 1999.

SEVCENKO, Nicolau. A capital irradiante: técnica, ritmos e ritos do Rio. In: ______ (Org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v. 3, p. 513-619.

SILVA, Marcelino Rodrigues da. Mil e uma noites de futebol: o Brasil moderno de Mário Filho. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.

TADIÉ, Alexis. Running for freedom: the politics of long distance running in modern fiction. International Journal of the History of Sport, Taylor & Francis Group, v. 32, n. 2, p. 286-298, Oct. 2014.

TOTI FILHO, Pascoal. O grande desportista. Uberaba: Typographia A Século XX, 1922.

WOOD, David. On the crest of a wave: surfing and literature in Peru. Sport in History, Taylor & Francis Group, v. 29, n. 2, p. 226-242, June 2009.

WOOD, David. Reading the game: the role of football in Peruvian literature. International Journal of the History of Sport, Taylor & Francis Group, v. 22, n. 2, p. 266-284, Mar. 2005.

Endereço: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/aletria/article/view/11033

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.