Livros de Redação no Brasil: o Começo de Uma História

Por: Gisele Fernandes.

130 páginas. 2001

Send to Kindle


Resumo

Esta dissertação analisa dois livros didáticos produzidos no final do século XIX e voltados especificamente para a prática da construção de textos, dentro das aulas de Língua Portuguesa. São eles Exercicios de Estylo, de Felisberto de Carvalho, publicado em 1885, e Livro de Composição para o curso complementar das escolas primárias, de Olavo Bilac e Manoel Bonfim, publicado em 1899. O trabalho se inicia com um panorama geral do que foi a escolarização no Brasil até o século XIX, acompanhando-a desde sua etapa de surgimento, com a escola religiosa trazida pelos jesuítas no século XVI, até o momento de transformação do país em República. A partir daí passa-se à análise de Exercicios de Estylo, observando a estrutura geral do livro, a escolha de temas propostos para redação, as preocupações lingüísticas expressas na obra, entre outras questões. Em seguida, o estudo se centra sobre o Livro de Composição, verificando os mesmos aspectos mencionados acima. Na etapa de conclusões, procura-se comparar os livros a partir de sua maior ou menor vinculação à estrutura dos Livros de Leitura, coletâneas de textos, literários ou não, de diferentes autores, que a escola privilegiava como material de apoio para aulas de diversas disciplinas, no final do século XIX, e observar em que medida as duas obras em questão se voltam para questões estritamente de linguagem ou organização textual.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2450&listaDetalhes%5B%5D=2450&processar=Processar

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.