Lúdico e Experiência Formativa: Convenções Ideológicas e Emancipação Social

Por: Eduardo Oliveira Sanches.

2007

Send to Kindle


Resumo

Este estudo busca esclarecer a relação existente entre as apropriações dolúdico pela sociedade de consumismo atual e a determinação de estereótipos no imaginário social. A constante veiculação de condutas estereotipadas pelos meios de comunicação de massa é uma das sutis estratégias utilizadas para mistificar a realidade, visando manter o modelo social atual. O lúdico, nesse contexto, ao contrário de constituir-se como experiência formativa, é utilizado pela estrutura ideológica mercantil vigente como instrumento de adaptação e conformação do indivíduo, comprometendo práticas emancipatórias na ação social. Em vista do exposto, a educação torna-se importante vetor de formação crítica mediando uma parcela da constituição da concepção de mundo dos sujeitos. Compreender o lúdico inserido no processo educacional e as direções a que esse entendimento remete torna-se relevante, pois nessa forma de expressão humana reside um significativo processo de intervenção pedagógica como fortalecimento da interioridade do sujeito. As análises realizadas nesta pesquisa partem das formulações realizadas pelos principais representantes da Escolade Frankfurt: Max Horkheimer, Theodor Adorno e Valter Benjamin; mais especificamente as categorias de Razão Instrumental, Indústria Cultural e Semiformação (Halbbildung).

Endereço: http://www.ppe.uem.br/dissertacoes/2007_%20eduardo_sanches.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.