Lutas Marciais X Profissionalização

Por: e Vários Autores.
Send to Kindle


Eu era calouro da Escola de Medicina e Cirurgia, quando entrei para a ENEFD, motivado pela ausência de debates sobre Saúde na área de Medicina e portanto, cursei as duas Escolas ao mesmo tempo. Já era atleta de Halterofilismo, orientado inicialmente por um folheto O Método Ideal, formulado pelo Grupo Força e Saúde, que tinha como Mentor intelectual o Dr. Marcello B. de Viveiros, médico com especialização em Medicina Aplicada a Educação Física e Desportos e no Grupo FS haviam atletas (Cid Pacheco, Hamilton Nogueira, João Baptista ) que não eram formados em Ed.Fìsica.

Na ENEFD de então só se ministravam aulas sobre Levantamentos de Pesos (Os três Levantamentos, eram Desenvolvimento,Arranco e Arremêsso ) agora chamados de Levantamentos Olímpicos e reduzidos a dois (excluírfam o Desenvolvimento, perante a dificuldade de validação da execução ¨correta¨).

Ao finalizavr o Curso, fiz a especialização de Técnica em Pesos e Halteres, (tendo sido um dos últios Licenciados a ter a Especialização, junto com o Prof. Sidney Veras) e conseguí que o Prof. Aluisio permitisse ministrar algumas aulas sobre Modelagem do Físico (a parte gíminica) que denominei de autoModelagem (do Corpo Humano). Organizei cursos para leigos (em Jan/1068) e então, com a Divisão de Ed. Física, colaborando com o Prof. Lamartine Pereira da Costa, organizei a parte de Halterofilismo, denominada Obtençãoda Força, para o Livro/Curso Iniciação à Moderna Ciência do Treinamento Desportivo. Até então, os Professores de Educação Física, não só  desconheciam a área, como também eram contra...

As Academias eram dirigidas por Leigos, Atletas de grande experiência, à exceção da Academia Coelho, dirigido pelo Prof. Paulo Ernesto Ribeiro, que havia criado a Revista Atlas. Na maioria das profissões, quando ocorria a regulamentação, os profissionais que já trabalhavam na área - tais como Psicológos (Professoras Pedagogas atuavam na área ) bem com Serviço Social - eram reconhecidos conforme critérios estabelecidos pelos novos Conselhos. É fácil justificar isso, pois esses pioneiros, haviam criado as áreas profissionais, em regime de autodidatismo.

Quando a Profissão de Educação Física foi reconhecida, resolveu ignorar os Atletas e Profissionais que trabalhavam em Halterofilismo e também em Futebol, mas indivíduos ligados aos novos Conselhos criaram ¨Cursinhos¨ e ministravam aulas - certamente regiamente pagos -  e HABILITARAM DIVERSOS LEIGOS, sem critérios tornados públicos; alguns jogadores de renome obtiveram seus  ¨certificados¨.

Portanto é fácil estabelecer um paralelo e é preciso fazer uma enorme diferença, pois as Artes Marciais envolvem lutas milenares, que incluem não só treinamentos experimentados há séculos, como toda uma Filosofia de Treinamento e de Vida. Outrossim, há paralelos com ás áreas de Dança ( que tem uma formação específica ) e de Yoga  que possue também uma experiência milenar e Filosofia.

Espero ter jogado gasolina na fogueira !

Luiz dos Santos Licenciado em Educação Física 1962) Médico (1963), Técnico em Pesos e Halteres (1964) e Especialista em Medicina Aplicada à Educação Física e Desportos (1965).

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.