Machado de Assis, João do Rio, Olavo Bilac e os Novos Padrões Corporais no Rio de Janeiro da Transição dos Séculos Xix e Xx

Por: .

Histórias(s) do Sport - 2017

Send to Kindle


Resumo

Março de 1871 (no tempo da ficção, já que a obra foi escrita nos anos finais do século XIX). Bentinho e Capitu uma vez mais deixam sua casa na Glória para jantar na residência de Escobar e Sancha, na Praia do Flamengo. Em certo momento da noite, na janela a ouvir o barulho do mar em ressaca (como os olhos de Capitu, conforme sugeria o protagonista), perdido em pensamentos, Bentinho percebe o amigo se aproximar:

– O mar amanhã está de desafiar a gente, disse-me a voz de Escobar, ao pé de mim.
– Você entra no mar amanhã?
– Tenho entrado com mares maiores, muito maiores. Você não imagina o que é um bom mar em hora bravia. É preciso nadar bem, como eu, e ter estes pulmões disse ele batendo no peito, e estes braços; apalpa.

Endereço: https://historiadoesporte.wordpress.com/2017/11/17/machado-de-assis-joao-do-rio-olavo-bilac-e-os-novos-padroes-corporais-no-rio-de-janeiro-da-transicao-dos-seculos-xix-e-xx/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.