Mafra em forma : influência de um programa de exercícios físicos aplicado a mulheres acima de 50 anos de idade.

Por: Daniel Rogério Petreça.

2009 28/09/2009

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve como objetivo analisar a influência do exercício físico nas aptidões funcionais, nas medidas antropométricas e na associação entre as variáveis dos participantes da Ginástica Popular do programa Mafra em Forma, do município de Mafra-SC. Este estudo se caracterizou como quantitativo de caráter pré-experimental (sem grupo controle). A amostra foi composta de 360 mulheres (C =57,08, dp=6,77 anos), participantes da Ginástica Popular, do programa Mafra em Forma. Para obter informações referentes à idenficação e informações sociodemográficas foi aplicado uma anamnese inicial e o questionário de classificação econômica da ABEP (2003). Para obter dados antropométricos foram realizadas as medidas de massa corporal (MC), estatura, perímetro de cintura (PC) e quadril (PQ). Foram calculados o Índice de Massa Corporal (IMC), Razão Cinturaquadril (RCQ), Relação Cintura-estatura (RCE) e para o Percentual de Gordura (%G) foi utilizado um aparelho de bio-impedância da Marca Omron® Model HBF- 306. Para avaliar a aptidão funcional foi aplicado a bateria de testes propostos pela American Alliance for Health, Physical Education, Recreation and Dance AAHPERD (OSNESS et al., 1990). As avaliações aconteceram em julho (pré-teste) e dezembro (pós-teste) de 2008 nos locais onde são realizadas as sessões de ginástica. O protocolo de tratamento consistiu em 34 sessões de ginástica, com o tempo de 60 minutos, durante quatro meses, duas vezes na semana, sendo que o treinamento preconizou a manutenção das aptidões funcionais. Os dados foram organizados em planilhas do Microsoft Excel 2007 e analisados no programa estatístico SPSS 13.0® por meio de estatística descritiva, teste t de Student, Wilcoxon, correlação de Pearson, teste de Qui-quadrado e regressão logística. Foi adotado nível de significância de p <0,05. Melhoras significativas foram observadas nos componentes antropométricos PC (p=0,02), PQ (p=0,03), RCE (p=0,045), e %G (<0,0001), também nas aptidões funcionais: agilidade, equilíbrio dinâmico, flexibilidade, coordenação, resistência de força e resistência aeróbia (p<0,0001). Ao relacionar as variáveis, os resultados indicaram indícios da relação inversa entre os componentes de aptidão funcional e níveis altos de IMC (p=0, 0001) e uma correlação moderada entre o %G e as variáveis de agilidade (r=0,38), resistência de força (r=-0,92) e resistência aeróbia (r=0,40). Também foi observada uma associação entre %G inadequado e a ocorrência de hipertensão (p-valor=0, 0001). Sendo assim, conclui-se que a intervenção de exercícios físicos por meio da ginástica, numa frequência de duas vezes semanais, durante quatro meses, é efetiva para melhorar e/ou manter níveis de aptidão funcional e algumas variáveis antropométricas. Portanto, demonstra-se a importância de políticas públicas para implantação de programas de atividades físicas.

Endereço: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/93288

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.